Aqui estão alguns comentários feitos pelos Irmãos Russos e roteiristas de Capitão América: Guerra Civil sobre o Robert durante o processo de filmagem do filme. Como são muitos, e pra não ficar muito cansativo, estarei dividindo em duas partes. Confiram!

MARKUS: Foi a última cena que o Robert gravou, certo? (a cena que o Robert aparece jovem) Porque ele teve que raspar a barba, para poder filmá-la.

JOE: Eu acho que nós temos que agradecer a Alfre Woodard por fazer, você sabe, uma pequena participação no filme, mas uma parte muito integral. Foi tão importante que o público sentiu o impacto emocional daquela cena e ter uma atriz do calibre dela fazendo isso para nós foi um presente incrível e um grande favor.

ANTHONY: Foi ideia do Robert, na verdade, de chamá-la. Ele trouxe-a para esse papel porque eu acho que ele sabia o quão importante esta cena seria para o personagem.

McFeely: E mesmo no set foi bastante claro, tipo “Oh, Uau!”

JOE: Exatamente.

JOE: Robert tem uma personalidade incrivelmente grande na tela e você tem que ter um ator ou atriz incrível em frente a ele para manter o ritmo.

McFeely: Isso é verdade. Ele não fala muito nessa cena.

JOE: Nós trabalhamos bem antes com o Robert sobre o personagem e nosso grande passo para ele, porque ele não tinha sido contratado para fazer este filme… Tivemos que ir até ele, mostrá-lo o filme e deixá-lo bastante interessado no filme, que iríamos ter uma abordagem muito diferente com Tony Stark. Que iríamos fazer o personagem desequilibrado e emocionalmente vulnerável e, insensível e que, você sabe, iria estar em uma posição totalmente confusa. Ele está lidando com as emoções que ele não teve de lidar antes. E que o seu centro moral e seu narcisismo estão entrando em conflito uns com os outros. E ele tem que fazer uma escolha para apresentar o seu ego para o governo.

McFeely: E eu acho que isso é ser responsável pelos filmes que vieram antes. Quero dizer, você sabe, você não pode explodir coisas como Ultron. Se o fizer, então você está andando em círculos.
JOE: Isso. Você está apenas fazendo filmes …
McFeely: Se ele não aprendesse com seus erros, nós iríamos ficar cansado dele.

McFeely: Eu meio que gostei da ideia da caneta que o Robert trouxe.
JOE: Sim. Então, o nosso processo com o Robert… Poderíamos falar sobre o processo com o Robert um pouco. Robert é muito… Eu sei que o termo é bastante dito, mas ele é um ator orgânico. Ele gosta da parte mercurial do processo, da parte inspiradora do processo. E ele realmente tem que entrar na cena, a fim de entendê-la em um nível emocional para a sua interpretação do personagem. Então, isso é o que nós fazemos, a cada semana antes do Robert gravar. Eu acho que ele estava no filme à cerca de oito semanas e todos nós iríamos para a sua casa em um domingo, ter um almoço muito agradável, e depois se sentar por algumas horas e falar sobre a cena com ele e Robert iria fazer alguma improvisação no personagem. E, você sabe, os caras iriam escrever algumas falas, e em seguida, a gente conversava sobre da estrutura da cena e, sem comprometer a história de qualquer maneira. Robert é incrivelmente aditivo, principalmente em termos do personagem porque ele conhece Tony Stark melhor do que ninguém no planeta. E extremamente criativo em suas escolhas. E as canetas foi uma ideia que ele trouxe para a cena como uma forma de representar o que estava acontecendo entre Cap e Tony no momento. E acrescenta algo muito adorável…

McFeely: Ah, isso é ótimo. Eles basicamente mostraram um começo e um fim a essa cena.

MARKUS: Então, o nervosismo de Tom Holland em estar numa sala com Robert Downey Jr. é basicamente 50% da cena, e o resto é ele nervoso como Peter Parker em estar com Tony Stark.

McFeely: A dinâmica é a mesma na vida.

MARKUS: Este garoto está na cena com este grande ator.

ANTHONY: Além disso, esta cena é tão interessante, também, porque nós usamos uma versão desta cena para a audição do ator. E nós fizemos testes de tela com vários atores com Robert Downey Jr. desta cena. Versões diferentes. Mas a coisa é que, nós tivemos que trabalhar muito essa cena, com ambos atores e em termos da estrutura da cena, de como ela ficaria. E eu acho que, esta cena é uma das minhas favoritas do filme.Tivemos várias gravações da cena, por assim dizer, antes de realmente se comprometer com ela.

ANTHONY: Bem, também, para um ator jovem, é como … Uma das coisas que estava sempre me chamando atenção nesta cena é capacidade de contracenar com Robert Downey Jr., quando ele está dando tudo de si, como o Downey fez nesta cena. Ele sabia o quão importante esta cena era. Ele sabia como o desempenho do Tom seria importante nesta cena, bem como a sua própria cena. Ele se entregou muito a cena e ajudou … Você sabe, é como se você nunca fosse ser um ator melhor do que quando você está atuando em frente a Robert Downey Jr. É uma coisa incrível.

Fonte

 

As técnicas de efeitos visuais que foram usadas para criar uma versão jovem de Tony Stark estão agora a serem usadas rotineiramente para dar aos atores face-lifts digitais.

Robert Downey Jr. retorna como o atual Tony Stark no filme da Disney e da Marvel Capitão América: Guerra Civil, mas os fãs do Downey podem se preparar para sentirem uma onda de nostalgia, quando, em um flashback, ele aparece na tela muito mais jovem, parecido com os filmes que ele fez nos anos 80, como em Abaixo de Zero, de 1987.

O versão adolescente de Tony Stark foi criada por artistas no Lola VFX utilizando os mais recentes truques digitais. A empresa ganhou uma reputação por este trabalho, tendo também “desenvelhecido” o personagem de Brad Pitt em O Curioso Caso de Benjamin Button (um filme que ganhou um Oscar por seus efeitos visuais). A Marvel também possibilitou criar uma versão mais nova de Michael Douglas em Homem-Formiga.

Para a cena em Guerra Civil, o processo foi iniciado durante a produção de encenação com Downey. “Em vez de substituir completamente o ator com um dublê digital, este método nos permitiu a manter o desempenho e nuances do ator,” Trent Claus, supervisor de efeitos visuais da Lola VFX, diz ao The Hollywood Reporter. “Então começamos a ajustar as filmagens de Tony Stark no set através de composição digital.”

Esse processo é semelhante ao uso de Photoshop em uma imagem parada. Diz Claus: “É um processo semelhante ao Photoshop que usa algumas ferramentas parecidas, mas ao contrário do Photoshop que é feito em uma única imagem, temos 24 quadros de filmagem por segundo.”

“Cada característica do rosto e do corpo precisava ser abordados de alguma maneira”, diz ele do trabalho em criar o Tony jovem. “Uma coisa que acontece com todos nós é que a pele do rosto diminui gradualmente em certas áreas, e precisa ser ‘levantada’ de volta para onde ela estava na idade em questão. Mas outras mudanças são extremamente sutis, como o aumento na forma que luz reflete o brilho da pele, uma redução no aparecimento de pequenos vasos sanguíneos sob a superfície de algumas partes da face, ou mais do fluxo de sangue nas bochechas, dando assim um toque juvenil, aquele ‘brilho’.”

“Desenvelhecer” um personagem por um período de 25-30 anos pode afetar a textura da pele e a pele pode envolver características como a estrutura óssea ou a postura, Claus explica. “Além disso, quando se trabalha com a aparência de um ator conhecido como Robert Downey Jr., há a pressão adicional de trazer a vida a aparência jovem que o público se lembra”, diz ele. “Neste caso, analisamos a filmagem do Sr. Downey com a idade aproximada que queríamos, que era na época do filme Abaixo de Zero [quando Downey estava nos seus 20 anos].”

A cena em particular também foi um desafio devido à sua extensão e porque envolvia um close-up. Diz Claus: “A cena foi quase de 4.000 quadros de extensão, com Tony Stark girando de um lado para o outro várias vezes, fisicamente interagindo com outros atores, e o próprio set, movendo-se cada vez mais perto da câmera, sem interrupção.”

Fonte

 

Depois de três filmes juntos (e inúmeras entrevistas) Chris Evans e Robert Downey Jr. são amigos bastante próximos, o que não é nenhuma surpresa.

Tão próximos, por exemplo, que uma das primeiras coisas  que Downey, 51, disse ao Evans, 34, no início da sua sessão de fotos para a People foi “Você olha para a frente – Vou dar-lhe um beijo na bochecha.”

Mas isso estava longe de ser a primeira vez em que ele demonstrou afeto por seu cos-estrela em Capitão América: Guerra Civil.

Downey revela que ele habilmente foi ajudar o Evans durante as filmagens, quando seu companheiro super-herói foi um pouco longe demais com um golpe particularmente desafiador.

“Eu cheguei ao set para começar a  filmar e eles me mostraram alguns minutos [de filmagem]. Tipo, ‘Aqui está o que andamos fazendo.’ Esta é um cena onde o Cap está segurando esse grande helicóptero e eu digo, ‘Quer saber? De todas as coisas que ele fez, esta seria a única que iria machucá-lo.’ Eu sabia disso”, diz Downey. “Porque eles estavam dizendo, ‘flexione e segure!’ Não foram os outros 3.000 golpes, foi isso.”

“Eu me machuquei, meu braço ficou todo ferrado”, admite Evans sobre filmar a cena, a qual é um momento memorável do trailer do filme em um clipe teaser.

Felizmente, tinha a enfermeira Robert para o resgate.

“Eu fui ao trailer do Downey e ele colocou várias coisas em todo o meu braço. Eu realmente machuquei meu braço fazendo aquela cena do helicóptero”, diz Evans.

Downey descreve as “coisas” como armas elétricas, o que estamos assumindo que seja componentes chaves para algum tipo de massageador muscular pulsante de alta tecnologia.

“Na verdade, o abraço ainda está ferrado”, diz Evans. “Eu preciso das suas coisas mais vezes.”

“Eu tenho tudo pronto para você”, responde Downey.