Sweet Tooth, a série que é adaptação dos quadrinhos ganha previsão de estreia na Netflix

 

Com o término das filmagens de Sweet Tooth na Nova Zelândia, a série deve ser lançada ainda esse ano (2021). A história consiste nas fábulas de Gus, um cervo que sai de casa para encontrar o mundo pós-apocalíptico, devastado por um evento cataclísmico. Gus une forças com uma família de híbridos e humanos para encontrar respostas por trás do apocalipse, descobrindo uma vasta conspiração, obrigando-o a questionar sua própria existência.

Jeff Lemire, criador dos quadrinhos, confirmou que as gravações foram oficialmente finalizadas. Ainda sem muitos detalhes sobre como a série será desenvolvida, Jeff descreve a produção como “aventura de apelo amplo familiar e de histórias”.

Sweet Tooth conta com a participação de Jim Mickle (Hap and Leonard) e Beth Schwartz (Arrow) como showrunners, além de Amanda Burrel e Linda Moran na produção. A primeira temporada terá 8 episódios, ainda sem duração divulgada.

A série é uma parceria Warner Bros, Team Downey e Netflix.

Via Bleeding Cool

# Sweet Tooth, Team Downey, Warner Bros

Depois de 11 anos interpretando o personagem Tony Stark, Robert Downey Jr está pronto para seguir em frente

 

“Eu já fiz tudo que pude com o personagem”, comenta Robert Downey Jr em entrevista ao Hinddustan Times. O ator de 55 anos praticamente iniciou o MCU com o filme Homem de Ferro em 2008 e estrelou 10 filmes da Marvel Studios até 2019, culminando com o sacrifício heroico de Tony Stark em Vingadores: Ultimato. Enquanto a Marvel inicia uma nova fase com novos super-heróis como Riri Williams (Dominique Thorne) em Ironheart – uma inventora genial que cria a armadura mais avançada desde o Homem de Ferro – Downey reflete sobre sua jornada do Homem de Ferro em Ultimato:

“Interpretar Tony / Homem de Ferro foi difícil e eu me aprofundei muito”, disse Downey ao Hindustan Times. “Tive uma temporada incrível de 10 anos que foi criativamente satisfatória.”

Quando questionado se ele teve dificuldade para sair do papel depois de mais de uma década como Tony Stark, Downey disse:
“Eu fiz tudo que podia com aquele personagem e posso fazer outras coisas agora. Agora, sendo de meia-idade, você começa a olhar no nono final e percebo que tudo isso é parte da jornada, e as coisas acabam. Eu sou afortunado e eternamente grato por ter chegado onde eu cheguei. “

Sobre a diferença entre Tony e Robert, Downey disse que há semelhanças devido ao seu trabalho que visa soluções climáticas baseadas em tecnologia com a Footprint Coalition e sua série de documentários do YouTube focada em tecnologia The Age of A.I. Como diz Downey: “Acredito na distância estética. Não sou Tony.”

“Como eu disse, tive uma temporada incrível na Marvel, que me ajudou a ver as coisas com mais criatividade. Agora tenho muito mais ambição de fazer coisas que nunca fiz antes. Evoluir é a chave – a pior coisa que você pode fazer é entrar no seu próprio caminho”, Downey disse. “Só no que diz respeito a querer ser um pai, marido e cidadão adequado, seria irresponsável da minha parte não ficar de olho no futuro para poder preparar minha mente para o que está por vir.” Ele acrescenta: “Agora toda vez que recebo um roteiro, penso no compromisso e no tempo em que ficaria longe da minha esposa e dos meus filhos.”

# entrevista, Robert Downey Jr.
Em recente entrevista, Robert Downey Jr se reuniu com o time da Footprint Coalition e a Forbes para falar sobre a tecnologia como solução para a crise ecológica que a humanidade vem enfrentando nos últimos anos.

Após a saída da Marvel, o fim das gravações do filme “Dolittle”, e a pausa forçada por conta da pandemia, Robert Downey Jr. vem se dedicando inteiramente ao novo projeto com a Footprint Coalition, que busca encontrar soluções por meio da tecnologia para ajudar a crise ecológica e reduzir o impacto ambiental causado na terra.

De acordo com Downey, quando o tempo na Marvel havia chegado ao fim, ele se viu pensando no que faria pelo resto da vida. Depois de uma década lidando com inteligência artificial e problemas ambientais como Tony Stark, ele havia tirado uma grande lição.

“Ano passado tinham algumas coisas acontecendo, meu contrato com a Marvel tinha acabado, tinha feito ‘Age Of AI’ e fui chamado para participar de evento da Amazon.” disse Robert. “Então fiquei me questionando o que ia fazer pelo resto da minha vida. Apareceu essa oportunidade e eu queria que fosse mais do que apenas uma participação. Eu tinha lidado com questões ambientais falsas no universo da Marvel, então seria legal começar a me preocupar com as verdadeiros.”

Ao ser questionado sobre o uso da storyline nos vídeos para explicar o projeto, Downey afirma que também está aprendendo enquanto tenta ensinar, e que entender a tecnologia por meio das storylines vem tornando tudo mais fácil.

“Estamos na era da informação, e se você não está um pouco conectado, e não digo somente de mídias sociais e etc, mas está tudo mudando. Só pelo fato de eu poder aprender enquanto estou explicando algo e ter essa mente aberta, é toda a questão de como as redes sociais dão um gás para tudo isso. E toda conversa sobre tecnologia hoje em dia está ficando mais digestiva por causa das storylines”

Downey ainda afirma que está muito otimista com relação as mudanças climáticas e que acredita que as tecnologias serão grandes aliadas para lidar com essas questões.

“Eu acredito que as big datas, inteligência artificial e robôs e toda essa tecnologia é algo não só crítico para este momento, mas uma nova psicologia.” disse Robert. “É algo que neste caso nos dá uma grande oportunidade de usar o que temos e o que sabemos.”

Para conferir esse e outros projetos futuros de Robert Downey Jr. com a Footprint Coalition, acesse aqui. 

# Entrevistas, Forbes, Robert Downey Jr.