Categoria: Shane Black

Marvel.com: Qual foi a coisa que você mais gostou nos filmes da franquia Homem de Ferro?

Guy Pearce: Eu vi o primeiro Homem de Ferro quando foi lançado na Austrália. A única coisa que realmente me impressionou foi a química entre Robert [Downey Jr.] e Gwyneth [Paltrow]. Eu apenas achei que os dois juntos foram fantásticos. E realmente funcionou bem. O filme teve um olhar diferente de várias histórias em quadrinhos ou outros filmes de super-heróis e eu achei que foi realmente envolvente. Foi muito emocionante assistir os filmes e depois tornar-se parte da equipe.


Marvel.com: O que você inicialmente achou de Robert Downey Jr. como Tony Stark?


Guy Pearce:Eu acho que ele lida com Tony Stark perfeitamente. Robert é tudo que você quer que um personagem principal seja. Ele não se leva muito a sério, mas ele é completamente e totalmente capaz de levar a história a sério quando é necessário. Ele é charmoso, ele é engraçado, ele é irreverente, e ele tem uma espécie de qualidade imprevisível sobre ele. Então, você nunca sabe bem o que você vai obter na tela. E eu acho que ele mantém uma grande linha com Tony Stark, onde ele honra o personagem que já existia e ele lhe dá algo que é incrivelmente divertido, inteligente e irreverente.


Marvel.com:Apesar de Tony Stark ser um gênio bilionário, há uma maneira que o público possa se relacionar com ele. Você acha que é esse o tema de todas essas personagens da Marvel?


Guy Pearce:Eu acho que é. É algo sobre a natureza comum dele. Mesmo que ele seja um bilionário e viva a vida que ele vive, ele nunca abandona sua ligação com a pessoa comum que ele é. Eu acho que isso é algo que um membro do público gosta. Eles provavelmente querem ser como Tony Stark, mas provavelmente eles também sabem que se eles tentassem Tony Stark iria conversar com eles.


Marvel.com: Ter uma história tão rica baseadas nas HQs ajuda a se referir ao seu personagem?


Guy Pearce:Quando eu comecei a falar com os caras da Marvel, eu queria ter um pouco de história sobre Killian e ver onde ele se encaixaria no esquema geral das coisas, de modo que me enviaram uma tonelada de material. Mas eu sei que em qualquer filme que eu trabalho que eu não posso ir tão longe com as pesquisas, porque chega um ponto onde eu preciso pular fora disso e, em seguida, entrar no mundo do cinema. Para mim, eu realmente precisava entender Killian no mundo dos quadrinhos, mas depois deixá-lo e ver o que iríamos fazer. Além disso, é sobre tentar encontrar algo novo e criativo, mas ao mesmo tempo eu quero homenagear os fãs de todas as tiras de quadrinhos da Marvel e Homem de Ferro e as pessoas que podem ser fãs de Killian.


Marvel.com: Tanto quanto os fãs, você está preparado para o seu mundo mudar depois deste filme?

Guy Pearce: Eu acho que cada vez que você faz um filme você tem que estar um pouco mais preparado que o seu mundo vai mudar em algum nível. Estou sempre aberto para que o isso traz. Obviamente [estar envolvido com] algo enorme como a Marvel que tem meio que um efeito realmente penetrante há décadas pode ser diferente. Portanto, pode ser uma grande mudança para qual eu estou pronto, mas vamos ver.

Marvel.com: Qual é a motivação principal de Killian neste filme?

Guy Pearce: Killian é um personagem interessante, ele é um cara que veio a este mundo com uma série de deficiências físicas. Ele nunca foi capaz de aceitar essas limitações e tem passado a maior parte de sua vida tentando superá-los da maneira que pudesse. Sua tenacidade e determinação cega na luta por uma vida melhor são vistos por alguns como irritante, muitas vezes ele até parece um pouco ofensivo. Ele só não vai aceitar jogar com as cartas que a vida lhe deu, e sendo tão inteligente como ele é, ele tem uma real oportunidade de mudar e tornar-se uma pessoa diferente. Então, vamos encontrá-lo no início do filme em um flashback e vemos o ambicioso, quase irritante cara que ele é. Ele tem oportunidades para tentar atacar pessoas como Tony Stark. Então você vê o personagem muito ambicioso e o vê mais tarde no filme completamente mudado, e Tony e as outras pessoas que o conheceram no início ficam tipo ‘Como isso aconteceu? Como ele fez isso?’ Mas ele é um personagem perigoso. Ele quer se tornar o todo-poderoso. É como uma espécie de força motriz e Tony Stark percebe finalmente do que esse cara é capaz.

Marvel.com:Fale sobre como é trabalhar com Robert Downey Jr.. Como foi a dinâmica no set?

Guy Pearce: Eu nunca sinto como se eu tivesse, de qualquer maneira, o mesmo intelecto de Robert, felizmente o roteiro mostrou isso. Mas Robert é brilhante. Ele tem uma mente que funciona a mil por hora. É um pouco complicado, porque ele gosta de improvisar bastante e eu gostaria de saber minhas falas, então eu estava sempre um pouco ligado se haveria algo de novo na cena. Mas, ao mesmo tempo tudo ele trouxe foi incrível, não há nenhuma dúvida sobre isso. Então você não pode negar que, se há uma ideia melhor na sua frente, você realmente tem que seguir com ela. Eu tenho sido um fã dele há anos, por isso foi muito emocionante trabalhar com ele. Eu sempre digo que uma das melhores coisas sobre ser um ator é trabalhar com os melhores atores. Ele é um talento maravilhoso, mas ele também é muito abrangente. Ele é simplesmente muito generoso em uma espécie de querer se certificar de que o que você está fazendo é o melhor que você pode fazer e que ele não é egoísta. Ele não está preso em suas próprias coisas. Ele é muito genuíno e aberto. Então, foi uma grande experiência.

Marvel.com: Descreva o triângulo amoroso entre Killian, Pepper e Tony.

Guy Pearce:Quando Killian começou sua organização AIM, há muitos anos, Pepper era alguém a quem ele contratou para trabalhar lá. Obviamente, desde o início, ele estava muito interessado nela. Ela era inteligente, atraente, ela era uma grande garota. Mas Killian era alguém em que ela nunca tinha se interessado. Quando encontramos Killian no início do filme, tudo nele é desagradável e ela sempre o manteve distante. Em seguida, anos mais tarde, quando ele vai até ela para basicamente financiar e envolvê-la novamente, ela se surpreende pela forma com que ele parece encantador e maravilhoso, além de sua atitude que também mudou. Então, ela é meio que tomada por ele, ela não sabe bem o que está acontecendo com ela em relação à ele. E, obviamente, ela e Tony Stark tem um relacionamento, então isso faz com que haja um pequeno bloqueio entre os dois.

Marvel.com:Fale sobre como trabalhar com Gwyneth. É claro que você tem uma grande química.


Guy Pearce: Ela é uma atriz maravilhosa. Eu a assistia nos filmes há anos e sempre achei que ela era única. Ela é incomum, ela é linda, mas não é comum, tanto quanto a sua forma de execução e como ela olha. Ela é muito especial. Por isso, foi muito emocionante começar a trabalhar com ela. Ela é uma garota inteligente, por isso, se em alguns momentos algo não fazia sentido, ela estava sempre chegando com grandes ideias. Ela é muito aberta e ela fez esse personagem antes. O interessante, que vem em um filme como este, é que você está trabalhando com os caras que fizeram esses personagens antes, então eles são muito familiarizados com o que está acontecendo. Eles são muito abertos em fazer você se sentir confortável em entrar em seu mundo.


Marvel.com: Como foi trabalhar com Shane Black? O que ele traz para a franquia?


Guy Pearce: Shane é um cara do povo e ele é inteligente. Eu e ele algumas vezes tivemos discussões, como eu tenho certeza que já houve com outros atores também. Eu costumo identificar linhas de diálogo das quais vão para o que eles estão totalmente se encaminhando, mas às vezes elas não saem muito bem de sua boca. Outro ator pode não ter o mesmo problema, mas eu tenho. Então, eu estou sempre à procura de ajustar um pouco o diálogo apenas para realmente fazer o trabalho para mim, e Shane foi muito útil nesse respeito, tanto quanto chegando com ideias diferentes. Ele é um cara inteligente, ele sabe onde colocar a câmera, ele tem uma grande energia e ele é fácil de se conviver.


Marvel.com: Você tem feito um monte de sequências de ação. Que tipo de treinamento de dublês você teve que fazer?


Guy Pearce: Eu realmente não faço muito treinamento. Eu geralmente me encaixo bem na maioria do tempo e eu gosto de estar no controle das acrobacias que eu estou fazendo. Na sequência de luta entre Robert e eu, a gente salta de uma plataforma de petróleo no mar. Havia vários saltos de plataformas mais altas para plataformas mais baixas, o que é uma coisa perigosa, mas tinham especialistas em todo o lugar nos dando certeza de que não iriamos nos machucar. Há também muito trabalho com cabos onde estamos vestindo arreios. Eu tinha feito um pouco desse trabalho antes em outros filmes, mas você sempre precisa ter uma espécie de curso de reciclagem quando você começa um outro filme.


Marvel.com: O que você está mais animado para ver no filme terminado?

Guy Pearce: Eu acho que a maneira que o Extremis funciona no corpo das pessoas. Muitas vezes os caras dos efeitos visuais diriam: “Neste momento, nós vamos ver as veias pulsando até o pescoço e vamos ver que seus olhos vão ficar em um tom alaranjado.” Então, eles tinham umas ideias diferentes sobre como isso seria e eles estavam obviamente muito animados sobre fazer uma coisa que eles jamais tinham feito antes.

Marvel.com: Que tipo de experiência você acha que o público vai conseguir tirar deste filme?


Guy Pearce: Espero que, uma experiência ainda maior do que eles têm tido nos primeiros filmes Homem de Ferro, mesmo que ambos tenham sido muito emocionantes. Homem de Ferro 3 se baseia em uma história nova que as pessoas podem se relacionar, e não importa que tipo de filme você faz, você precisa de uma história que as pessoas possam se conectar com ela em um nível emocional, você precisa de personagens que possam se conectar, e você precisa sentir que há uma sensação de realidade em algum momento e você também tem que se divertir. Então, todos esses elementos precisam estar lá e eu acho que eles são.



# AIM, Aldrich Killian, entrevista, guy pearce, Gwyneth Paltrow, Homem de Ferro 3, Iron Man 3, marvel, Pepper Potts, Robert Downey Jr., Shane Black, spoilers

Junto com o novo trailer teatral, um embargo foi levantado por jornalistas que tiveram a sorte de entrevistar o diretor de Homem de Ferro 3, Shane Black e o produtor Kevin Fiege após serem mostradas imagens exclusivas. Falando com Collider, os dois discutiram infinidade de novas armaduras do Tony Stark, Patriota de Ferro, O Mandarim e seus Dez Anéis, bem como a conexão da terceira sequência da Marvel para Os Vingadores 2, entre outras coisas. Confere aí.

Shane Black: Eu considero a fanbase como sendo basicamente o trabalho da Marvel. O meu é de ser um fã e eu sou um e eu tenho sido desde tenra idade, de Homem de Ferro, então para mim, só me agradou e espero que agrada ao resto dos fãs. Deveria. Por exemplo, uma das alegrias para mim, sempre foi ver como você toma um vilão de história em quadrinhos e o traz em uma forma um pouco mais realista para um filme, fazê-lo no cinema de uma forma que é reconhecível, mas diferente. E isso é divertido. Assim como o Coringa em O Cavaleiro das Trevas não é o Coringa de história em quadrinhos, mas há apenas o suficiente dele que você reconhece e fica tipo, “Uau, que forma criativa de interpretar o Coringa para os filmes.” Então, essa era a nossa tarefa aqui também. Os fãs adoram o personagem O Mandarim e apenas disse: “Bem, o que nós não queremos é esse potencial racista com estereótipo de um vilão Fu Manchu que apenas faz gestos com seu punho.” Mas nós encontramos um caminho, para obter uma interação do Mandarim que nós gostamos, eu acho. Estamos muito animados com a luta de construir esta história quando descobrimos que poderíamos incluir o Mandarim e dar-lhe uma personagem que seria uma jogada perfeita, o maior vilão do Homem de Ferro, mas sem depender demais do que o estereótipo de quadrinhos foi .

Sobre os muitos trajes em Homem de Ferro 3, Kevin Feige diz: Você sabe que temos visto, através de Vingadores, 7 ou 8 armaduras e queríamos progredir em um presente. É parte de, mais uma vez, o efeito que os Vingadores teve sobre ele é o porquê de ele estar se aperfeiçoando ainda mais do que antes e ele está construindo muito mais do que ele já tinha feito. O Patriota de Ferro é também uma espécie de resposta aos Vingadores. É uma espécie de Máquina de Guerra do governo, francamente, porque o governo dos EUA sentiu-se como se eles estivessem um pouco ameaçados pelos acontecimentos d’Os Vingadores. Estes heróis loucos conhecidos como Os Vingadores foram os que salvaram o dia, salvaram Nova York, salvaram os Estados Unidos; mas não o governo. O governo sentiu que precisava de um herói surgido deles mesmos, e eles têm um oficial militar que tem uma dessas armaduras, e então apenas a pintaram de vermelho, branco e azul. Eles posam ao lado do presidente e Tony meio que rola seus olhos, você viu um pouco disso hoje[em relação ao trailer]. Eles querem um herói. E Tony, “O que você quer dizer, eu sou um herói?” E eles dizem: “Bem, você passa muito tempo em sua oficina. Queremos alguém em que possamos confiar.” Então é mais ou menos assim que o Patriota de Ferro surge. E, novamente, é uma coisa dos quadrinhos, achamos que o traje Patriota de Ferro fosse igual e ligeiramente parecido com o dos quadrinhos. Não é Norman Osborne ou qualquer uma dessas coisas, obviamente, mas isso nos deu um lugar para introduzirmos com Rhodey. Queríamos deixar Rhodey e seu tipo de lealdades divididas entre seu amigo e seu dever e então manter essa história acontecendo.

Comentando sobre a armadura Deep Space, Feige diz: Bem, eu diria que eu já tive um número de “Jungle Attacks” do Batman no meu tempo e eu não me lembro de nenhuma sequência de “ataque na floresta” no Batman, então.

Black sobre O Mandarim: Desde o início estávamos todos em cima disso, sim, a ideia de apenas uma interpretação um mundo real de um cara que, eu odeio ter que falar isso para você, mas ele não é deste espaço. Os anéis são anéis. São teatralidade. Eles são apetrechos. São parafernália de guerra que ele meio que se esconde por trás. Ele estuda Sun Tzu. Ele estuda táticas de insurgência. Ele envolve-se com dragões e símbolos dos senhores da guerra e iconografia chinesa porque ele quer representar este tipo de protótipo de terrorista – que usamos como exemplo o Coronel Kurtz de Apocalypse Now – um cara que pode ter sido um americano, pode ter sido um cidadão britânico, alguém que está lá fora, fazendo o trabalho de campo, supervisionando atrocidades para a comunidade de inteligência que enlouqueceu em campo e se tornou esse tipo de devoto de táticas de guerra, e agora se cercou de um grupo de pessoas a que preside, e a única coisa que os une é este ódio da América. Então ele é o terrorista final, mas ele também é mais experiente. Ele está no mundo da inteligência. Ele sabe como usar os meios de comunicação. E levá-lo para um nível de mundo real foi mais do que divertido para nós.

Feige sobre a ligação do filme com Os Vingadores: Isso meio que serve de resposta pra sua outra pergunta, o real motivo que queríamos de Vingadores para esse filme foi mostrar o efeito dos Vingadores no psicológico de Tony. Este homem, que vem deste universo fundamentado – Eu sempre digo que está fundamentado o suficiente, apesar de ele construir um traje de ferro e voar os arredores – a noção de Tony Stark de sempre pensar em si mesmo como uma espécie de “macho alfa” ou “superior”, agora foi para o espaço , quase foi morto por alienígenas, encontrou um deus completamente louco que poderia esmagá-lo em torno de toda a floresta com um martelo, encontrou um cara que seu pai costumava falar a partir de 1945. Não tem nenhum erro em encontramos Tony no início do filme e ele estar apenas construindo armaduras, colocando-se no processo, e ele se sente muito mais confortável quando está no processo. E muito nesse filme é sobre Tony aprendendo a se tornar Tony Stark novamente fora da armadura, e ele tem um pouco de ajuda nisso quando se vê com sua mansão completamente destruída.

# Collider, Homem de Ferro 3, Iron Man 3, Kevin Feige, mandarim, Os Vingadores, Shane Black

 A revista francesa Premiere traz Robert na capa de sua edição do mês de março. Eles conversaram com o diretor de Homem de Ferro 3, Shane Black sobre o filme que será lançado no dia 26 de abril aqui no Brasil. Aí vai a entrevista que eles postaram no site deles.

“Lendário escritor de Máquina Mortífera, diretor do mega-cult Kiss Kiss Bang Bang, Black assume o lugar de Jon Favreau na direção do terceiro episódio em que Tony Stark finalmente cruza espadas com seu inimigo de quadrinhos, o Mandarim (Ben Kingsley). Quando ele promete “um filme mais atrevido do que as produções anteriores da Marvel” a única coisa que podemos fazer é confiar nele…

Premiere: Qual foi sua reação quando você foi chamado para Homem de Ferro 3?


Shane Black: Eu fiquei feliz em ouvir de Robert Downey Jr., que teve um pouco de influência no caso, que eles me ofereceram o trabalho. Eu tive várias entrevistas na Marvel, e eu, felizmente, fui posto a trabalhar rapidamente. Eu desenvolvi vários projetos ao mesmo tempo, mesmo que eles não fossem promissores, esforcei-me para virem a ser concretizadas. Meu último filme Kiss Kiss Bang Bang, de 2005, deu certo e aqui estou eu, de repente, com uma oferta para dirigir um filme já bem produzido com um conjunto de filmagens e um conjunto de saída.


Você não está sozinho na produção, o que é incomum para você?


Quando a Marvel contrata um diretor, o roteiro do filme geralmente já está escrito. Só que eles tinham alguém que é um escritor na base… Este era um problema no começo, porque eles já tinham contratado Drew Pierce para escrever Homem de Ferro 3. Eu fiquei tipo, “Mas eu não preciso desse Drew Pierce, que história é essa?”(Risos) Eu finalmente concordei em encontrá-lo, e foi imediatamente ouvido. Hoje eu não sou apenas um fã de Drew Pierce, mas sim, ele se tornou um amigo. Ele chegava no set todo dia, pedíamos nossas folhas e nossos lápis e eram explosões de cérebros de manhã à noite. O roteiro foi realmente escrito a quatro mãos. Uma excelente colaboração.


Você abordou o filme como a terceira parte de uma trilogia?


É sempre difícil lidar com um terceiro. Seu primeiro trabalho é responder a esta pergunta: o que resta para contar nessa história? O desafio é que o filme não é apenas um novo episódio das aventuras do Homem de Ferro, mas a continuação de algo, um novo capítulo tinha que ser dito. Este foi o problema que eu tive com Máquina Mortífera 3 e 4. Aconteceu no quarto, eu  senti que não tinha nada a dizer. O filme foi mais um episódio da série de TV. Eu tenho a sensação de que a história que temos desenvolvida para Homem de Ferro 3, na verdade, concluiu uma trilogia. Deixando a porta aberta para um quarto…


Esta é uma das grandes questões do momento, porque o contrato de Robert Downey Jr. para Homem de Ferro acaba após o terceiro filme?


Tem havido muita discussão sobre o assunto: “Vai ser o último Homem de Ferro do Robert?”. Algo me diz que não será o caso, e talvez ele será visto em um quarto, ou quinto… Mas eu posso estar um pouco animado.


Esta é a primeira vez que você se aventura em um mundo que não lhe pertence. E, no entanto, a sua presença em Homem de Ferro 3 parece evidente…


É a especialidade de Robert faz dizer isso, eu acho. Fui com toda a humildade, eu não me descrevo como um “autor”. Eu me vejo como um trabalhador feliz por ir trabalhar com seus colegas. O que eu aprendi com a construção de um blockbuster de $ 200 milhões é impagável. E se isso significa que vou ter que sacrificar um pouco do controle que eu tenho geralmente, que seja. Fiquei feliz em colaborar. Bem, eu ainda arrisco que você vai achar o filme um pouco mais atrevido do que as produções anteriores da Marvel … (Risos.)


Você acha que Robert Downey Jr. ainda é o mesmo da época de Kiss Kiss Bang Bang?


Ele é exatamente o mesmo ator que você vai pra ver em sua caravana, cheio de entusiasmo e propostas. Em Kiss Kiss Bang Bang, eram realmente dois colegas que constantemente oscilavam ideias, perguntando: “O que vem a seguir? O que as pessoas vão querer ver nesta cena?” Eu encontrei essa atmosfera em Homem de Ferro 3. Há uma abundância de momentos no filme, você vai ver onde Robert é liberado na cena para inventar algo completamente inesperado. Ele permaneceu o mesmo hiper ator intuitivo, divertido e imprevisível. A única coisa que mudou é que agora é uma das maiores estrelas do mundo, e eu não posso atravessar a rua com ele para o restaurante sem ser assediado por dezenas de pessoas… Eu sei que alguns atores fazem grandes sucessos e ao mesmo tempo dizem que só pensa em seu próximo filme. A diferença é que com Robert, ele abrange tudo com o mesmo requisito. Não há cinismo em sua abordagem. Seu envolvimento continua o mesmo, e isso pode ser visto tanto em Homem de Ferro 3 quanto em Kiss Kiss Bang Bang.


# Capa, contrato, entrevista, homem de ferro, Homem de Ferro 3, Iron Man 3, Premiere, revista, Shane Black