Dia: 3 de outubro de 2014

Depois de ter recuperado sua fama com as superproduções de “Homem de Ferro”, Robert Downey, Jr. finalmente recuperou o estilo no cinema que já o levou a caminho do Oscar. E com o filme “The Judge”, que inaugurou o Festival Internacional de Cinema em Toronto.

 

Entrevistador: Seu personagem no filme “The Judge” é muito bom para julgar as pessoas apenas por velas a primeira vista. O que você acha que ele diria sobre Robert Downey, Jr.?

Robert: Provavelmente diria que adoraria “defender” uma pessoa como eu (risos). Poderia muito bem abrir um ramo inteiro de firmas com advogados de defesa.

 

Entrevistador: Em termos de milhões de dólares em receitas, sabemos que Hollywood é um mundo onde são mais importantes os super heróis como Homem de Ferro, mas, onde você acha que são geradas as verdadeiras influencias em um mundo no cinema onde as histórias humanas estão acima das arrecadações?

Robert: Robert Duvall foi ao Instituto Strasberg  e com (minha esposa) Susan, assistimos todo tipo de grandes super produções, mas também em casa vimos fotos dela na USC, University of Southern California, filmando cenas noturnas apenas por filmar, para algo que ninguém iria ver. E todos nós viemos de diferentes lugares que não têm necessariamente a ver com o estilo de cinema a que estamos associados. Isso não é querer fazer um filme com “The Judge”. De certa forma estou no mesmo estilo de cinema, onde sempre havia estado.

 

Entrevistador: Atuar sempre foi seu único trabalho?

Robert: Não, também trabalhei em uma loja de sapatos… Até que me demitiram. Passei a trabalhar em um famoso clube noturno na década de 80 e recebia 10 dólares por hora, além de poder tomar todos os shots de conhaque que eu queria. A atuação foi à melhor saída para deixar de trabalhar como garçom.

 

Entrevistador: Sua esposa Susan também é produtora do filme “The Judge”, como é a relação de um casal no meio da gravação de um filme?

Robert: Boa. Também se parece muito com um ménage à trois quando se adiciona um diretor (risos). É a forma mais platônica de ser visto até agora (volta a rir). Há toda essa esperança em um trabalho feito como o nosso, onde uma vez foram outros diretores como Guy Ritchie e Shane Black. E dessa vez confiamos em David Dobkin porque ele entendeu muito bem a idéia e literalmente se tornou uma relação de três cabeças, onde dois deles podem fazer amor sempre que der vontade. O bom dos produtores é que eles são loucos como muitas atrizes.

 

Entrevistador: Sério?

Robert: Também sou ator e sei que nossa profissão é muito estranha, é tudo muito neurótico. E eu sinto muito, mas as mulheres são mais neuróticas que os homens. Garanto que ela é. Mas na produção é diferente, você não pode se preocupar com coisas bobas como “o que me disseram?” ou “tenho que arrumar meu penteado e maquiagem”.

 

Entrevistador: E além das loucuras de ator, há que ponto influenciou seu trabalho com um pai como o seu? Que alias também se chama Robert Downey.

Robert: Toda vez que via meu pai, se entrava em um restaurante e estava prestes a sair, passava por sua mesa e o olhava com medo, me perguntando se tinha que chegar perto, mas sempre estava com medo que eu fosse embora sem dizer adeus, para ser gentil, porque todos queriam cumprimentá-lo. Digamos que nosso relacionamento… Não quer dizer que éramos estranhos, mas é o suficiente para dizer que economizei muito dinheiro em terapia com meu próprio pai.

 

Entrevistador: E no seu caso? Você se considera um bom pai?

Robert: Teria que perguntar ao meu filho, especialmente o mais velho. Viajamos bastante. Lembro-me de quando fomos para a Itália e dissemos que a comida italiana era muito melhor que a de Los Angeles. Em outra viagem a Montreal,  por exemplo, estávamos no aeroporto fingindo que falávamos em francês, somente com o acento mas com palavras inventadas. E uma pessoa me reconheceu e veio dizer “senhor Downey, por favor, pare de tentar falar francês”. Nós temos uma vida muito boa. E eu que pago tudo (risos)

 

Entrevistador: E seu filho mais novo, com uma mãe produtora de cinema… Você o imagina trabalhando na indústria cinematográfica?

Robert: Recentemente conversei sobre isso com sua mãe e ela ameaçou me castrar se eu sugerisse novamente.

 

Entrevistador:No seu caso, você aprendeu algo fazendo o papel do filho em “The Judge”

Robert: Na verdade fiquei surpreso ao saber que após a estréia do filme, as pessoas se lembraram do relacionamento com uma irmã ou irmão mais velho, ou com um antigo relacionamento, mas a história é sobre um pai e filho. Ele vai muito além de uma relação familiar, fala sobre um relacionamento humano ao mostrar situações complicadas para qualquer um.

 

Entrevistador: Há algo diferente nessas filmagens comparando com “Homem de Ferro”?

Robert: Todos os atores colocaram a sua pele no filme. O diretor, David Dobkin até sugeriu um processo de ensaio que não tinha nada a ver com o que estava acostumado a fazer desde que fui para a escola de teatro. Lembro que apenas de um ou dois filmes onde ensaiávamos como se fosse uma pré-produção. E com Robert Duvall nos demos conta que esse era o sistema que ele costumava trabalhar antes.

 

Entrevistador: Houve alguma improvisação ou tudo estava escrito no script?

Robert: Eu diria que tudo de bom no filme foi idéia minha, mas não foi. Ás vezes, quando sai muito fora do script, você também pode ter problemas, porém ainda me lembro dos sentimentos que Robert Duvall demonstrou em nosso primeiro encontro nos estúdios. É uma verdadeira coincidência como em “The Thorn Birds” onde todos querem Atticus Finch apareça como uma prostituta morta. E acreditem em mim, não queríamos parabenizar ninguém.  E o estranho é que o que eu sentia nessa viagem louca que fizemos é que estava gravando o filme “The Judge”… desde sempre.

Fonte

# Sem categoria

A estrela de Avengers: Age of Ultron fala longamente sobre se ele iria ou não fazer Homem de Ferro 4, e como sua idade o está afetando, o que o leva a discutir a lesão que ele teve durante as filmagens de Homem de Ferro 3. Confira:

“Isso é tudo o que está sendo falado sobre um monte de níveis diferentes agora”, disse Robert  quando perguntado pela Deadline sobre ele não voltar para Homem de Ferro 4 e qual será seu futuro como o Avenger de Armadura.

“Para mim, tudo se resume ao que é a meia-vida de pessoas que beneficiam de um personagem? É diferente na TV, onde você espera que a longevidade sobre temporadas enquanto os filmes obtem uma pausa de dois ou três anos. Marvel continua intensificando seu jogo, e eu aprecio a forma como Kevin Feige e todos os criativos de lá pensam. eles são como a casa do leme criativo como qualquer grande estúdio foi em algum ponto.

Assim torna-se uma questão de, até que ponto é que eu deixe de ser um trunfo para o que eles estão fazendo, e em que ponto é que eu sinto que eu estou gastando tanto tempo para promover esses filmes que eu não sou realmente capaz de sair da cabeça das pessoas e fazer o tipo de outras coisas que é bom para todos nós. Cada um daqueles filmes é distribuído por dois anos, e algumas pessoas se encaixam em outras coisas. Mas eu não tenho mais 42 anos, eu estou quase na casa dos 50 e agora eu vou ter duas crianças pequenas em vez de um grande, vários projetos da Team Downey com pessoas que estão imaginando que eu não estou gastando dinheiro da Warner Bros ‘por vaidade, mas que eu estou levando isso a sério. Tudo tornou-se essa coisa que tem de ser descoberto. “

Querendo ou não Robert vai renegociar seu contrato com a Marvel Studios para fazer Homem de Ferro 4, ainda temos o próximo ano Avengers: Age of Ultron, bem como a terceira montagem de super-heróis em 2018 para ver o ator retratar o filantropo Tony Stark.

“… Então, novamente, eu não sei mesmo o que é um homem de liderança, hoje em dia,” ele começou. “Eu acho que sempre foi alguém que pode levar uma história. Também penso em como era muito mais fácil de lembrar quanto a este último Avengers que eu sou 20 anos mais velho do que praticamente todo mundo lá. Ruffalo e eu somos um pouco mais perto da idade e talvez Spader que é um pouco mais velho que eu, mas você sabe o que quero dizer. “

O entrevistador, brincando, perguntou se Robert tornou-se ciente de que as articulações rachaduras que ouviu durante as filmagens de Age of Ultron fosse o seu próprio, e não Chris Hemsworth.

“Bem, ouvindo o estalar de meus próprios ossos em Homem de Ferro 3, que finalmente saiu do que só pode ser descrito como um vôo de cinco anos de fantasia onde eu pensei que, se Sherlock Holmes pode fazer isso, isso significa que eu posso”, o ator respondeu. “Se Tony pode saltar de uma parte de um andaime para o outro e não prender o tornozelo, bem, então vamos fazê-lo duas ou três vezes e ir para o almoço. Olhando para trás, estou surpreso e muito envergonhado que um cara de meia idade foi pensando assim. Eu honestamente não acho desse jeito atualmente. Mas também sei que isso poderia acontecer novamente, um pouco de hipnose  faria alguém pensar dessa forma. Há também essa coisa estranha, onde eu queria que alguém pudesse vir e me dizer o que realmente está acontecendo quando as pessoas assim me identificam com um personagem como Tony. Ou às vezes as garotas mais inteligentes, mais jovens olham para mim e falam com sotaque americano e eu sou Sherlock para eles.”

Sobre a lesão no tornozelo sofrida por volta de 2012 durante as filmagens de Homem de Ferro 3, que interrompeu a produção por quase um mês, Robert, então, falou como isso aconteceu.

“É … eu estava fazendo um salto de arame, e Shane Black, que eu adoro, veio e disse: ‘Nós vamos tentar obter isso antes do almoço'”, explicou Robert. “Eu estava sentado ao redor toda a manhã, e eu me levantei e coloquei minhas botas e caminhei para fora e disse:” Ir para lá? “Nós estávamos na Carolina do Norte e havia essas escadas que eu tive que me levantar para chegar até o andar onde os quartos eram e eu quebrei o tornozelo. Por alguma razão ou outra eu tirei a bota, tudo o que eu fiz, eu cheguei ao topo da escada, e eu tropecei, e bati em algo e cai no chão. Logo em seguida, Susan virou a esquina, ela diz, “Tudo bem. você finalmente vai aceitar o fato de que você está ferido e que você não é uma criança. Basta olhar pra você no chão. Olhe para você! “e ela meio que continuou andando até a cozinha e eu estava deitado ali, e eu comecei a rir. Eu era como Jesus Cristo. Porque sempre que você percebe as coisas quando você está deitado ali, resplandecente em um piso de madeira, se contorcendo de dor?

Fonte

# Avengers 2, Avengers: Age of Ultron, entrevista, Homem de Ferro 3, Homem de Ferro 4, Robert, Robert Downey Jr., Sem categoria

OI? Novamente essa foi a nossa reação. Não é a primeira vez que Robert quer trabalhar com Mel Gibson, mas dirigir Homem de Ferro 4? Pera lá. Vamos entender essa história:

Robert tem feito várias divulgações para o seu mais recente filme, The Judge, e é claro que ele foi perguntado sobre Homem de Ferro 4. A última vez Robert  disse que ele iria aproveitar a onda até o fim, e agora as conversas com o ator sobre o filme é a seguinte: ele fará Homem de Ferro 4 se for dirigido por Mel Gibson.

Marvel uma vez fez uma aposta em Downey com o primeiro filme do Homem de Ferro, e Robert acha que  Mel Gibson deve ter mais uma oportunidade.

”Bem, em primeiro lugar, ele mudou muito. Ninguém deve fazer caso de alguém que só quer o perdão, mas não mudou, mas ele é um cara fundamentalmente diferente. Acho que foi apenas os piores aspectos  de alguém ser tratado como se fosse a afirmação genérica sobre uma pessoa.”

– A Marvel quer muito Homem de Ferro 4 e você disse que não faria. Que tal a idéia de filmar se Mel Gibson dirigir?

RDJ:Correto.

– É o nosso título?

RDJ: Por que não? Esse filme seria demais.

O que dizer sobre isso? Segura na mão de Deus ou na do Kevin Feige e deixa acontecer \o/

Fonte

# Homem de Ferro 4, iron man 4, Mel Gibson, Robert, Robert Downey Jr.