Há 11 anos atrás, Robert Downey Jr. começava um legado que se estenderia e alcançaria um sucesso inestimável.  E foi em Homem de Ferro que deu a ele não só seu papel mais icônico como também rendeu mais de US$ 20 bilhões (e contando) com a criação do Universo Cinematográfico da Marvel.

Joe e Anthony Russo os diretores que trabalharam com Downey em “Capitão América: Guerra Civil”, “Vingadores: Guerra Infinita” e o agora em “Vingadores: Ultimato”, dizem que a Academia deveria finalmente reconhecer Robert por seu trabalho na Marvel Studios. Mesmo que isso signifique superar o aparente preconceito contra atores em filmes de super-heróis.

“Seu trabalho cumulativo desses filmes é impressionante”, disse Joe Russo, ao promover o recorde de Ultimato esta semana em Washington. “Se você olhar para o trabalho dele nos últimos quatro filmes da Marvel, é fenomenal.  Ele merece um Oscar talvez mais do que qualquer outro nos últimos 40 anos por causa da maneira como ele motivou a cultura popular “.

No mesmo ano, em 2008, Robert já tinha recebido sua segunda indicação ao prêmio pelo filme “Trovão Tropical” na qual ele foi ator coadjuvante. Sua primeira indicação foi por seu papel no filme “Chaplin”.  Mas apesar de elogios recebidos por seu trabalho no papel do gênio Tony Stark, Robert nunca foi reconhecido pela academia.

Assim como outros 17 atores ganhadores do Oscar que também tenham apareceram no Universo Cinematográfico da Marvel, nenhum ganhou por seu trabalho no Studio. Além deles, uma variedade de indicados ao Oscar que também trabalharam para a Marvel, não receberam nenhum reconhecimento.

Os primeiros filmes de “Homem de Ferro” dependiam fortemente do carism e da fala rápida de Downey. Mas um dos benefícios de “Vingadores Ultimato”, é que os diretores conseguem deixar que as cenas de diálogo emocional respirem entre as batalhas. E como o personagem de Robert recebe um arco texturizado envolvendo várias gerações da família, o ator consegue transpassar as emoções aos espectadores aparentemente sem esforço.

Como algumas de suas cenas, “é de partir o coração”, disse Joe Russo. “Ele tem o mundo em lágrimas agora.”


“Ele tem um processo muito envolvido – um processo mais complicado do que qualquer ator com quem já trabalhamos”, disse Anthony Russo. “Ele se aprofunda e trabalha mais que qualquer um. Downey realmente anda uma milha a mais para tudo – é como se tudo o que ele estivesse fazendo fosse algo extremamente especial”.

Além das duas indicações de Robert, outros atores que interpretam os Vingadores têm visto uma grande diferença ao entrar em uma franquia de super-heróis. Mark Ruffalo foi indicado a três Oscars na última década, mas nenhum pela sua carreira como Hulk. Scarlett Johansson foi indicada para quatro Globos de Ouro desde ” Encontros e Desencontros ” de 2003, mas nenhuma desde que assumiu o papel da Viúva Negra, começando com “Homem de Ferro 2” de 2010.

Joe Russo observou que a Academia passou a ver o entretenimento popular de forma diferente, em comparação com o passado de Hollywood.

Visto que filmes como Ben-Hur, Golpe de Mestre, Poderoso Chefão, e Rocky já levaram várias indicações inclusive ganhado como Melhores Filmes.

“Parece que agora há um preconceito contra o cinema popular”, continuou o cineasta. “De certa forma, isso é um pouco triste.”

Lembrando que essa tendência pode estar mudando, aos poucos visto que na premiação desse ano “Pantera Negra” recebeu sete indicações ao Oscar, e ganhou três troféus.

Fonte