postagem categorizada como: Homem Aranha: De Volta ao Lar
Tom Holland fala como foi trabalhar com Robert Downey Jr e a relação de Peter Parker com Tony Stark
06.04.2017

Nessa entrevista o Tom Holland além de comentar sobre como foi trabalhar com o Robert e a relação do Tony Stark com o Peter, ele também falou sobre o extenso processo de audição para o papel de Peter Parker, no qual o Robert e o Chris Evans estavam envolvidos, e sobre algumas novas tecnologias que o Tony criou para o traje do Homem-Aranha. Confiram:

Você pode nos falar sobre o processo de audição?

Foi intenso, cara. Eu estava filmando outros filmes na época, eu tive sorte porque estava meio preocupado. Eu acho que se eu não estivesse trabalhando, eu teria explodido por apenas ter que ficar esperando para saber do filme. Eu fiz duas cenas com Joel Kinnaman porque eu estava fazendo um filme com ele. Depois eu fiz duas cenas com Jon Beranthal, e depois eu fiz um outra cena sozinho, e então finalmente fui fazer o teste com Robert e Chris. Isso para mim já foi uma experiência boa o suficiente – eu não precisava nem conseguir o papel. Eu estava tão feliz por ter chegado tão longe e ter trabalhado com o Robert e Chris, eu estava feliz só de ir para casa. Mas quando consegui esse papel, eu nunca estive mais feliz. Foi o dia mais louco da minha vida, foi insano. E estávamos esperando em torno do que parecia meses antes de eu descobrir –

Eu ia perguntar qual foi a sua cena de audição …

Meu Deus, minha cena de audição. As três primeiras não foram de Homem-Aranha, foi de uma das cenas Whiplash. Depois, houve algumas cenas de Homem-Aranha, mas elas tinham sido meio que inventadas. Nada do filme. Mas então a minha audição final foi com o Robert, uma cena entre nós dois que estava em ‘Guerra Civil’.

Parker se envolve nas operações comerciais de Adrian  Toomes (Abutre) quando ele tenta parar alguns homens tentando roubar um caixa eletrônico com grandes armas de alta tecnologia. Tony fala para ele ficar de fora, e que ele vai ter a chance de se tornar um vingador, uma vez que ele se formar na faculdade. Caminhando para casa, ele encontra um pedaço de tecnologia que caiu da van. Em vez de chamar Tony Stark ele decide investigar sozinho. Isso o leva a Washington, DC, que vimos nos trailers.

Você pode falar como sua relação com Tony Stark evoluiu desde ‘Guerra Civil’? Nós aprendemos um pouco sobre a história mais cedo, e sabemos que ele aparece muito no filme, e o Homem-Aranha confia nele e conta com ele, então o que você pode dizer sobre Peter e Tony?

Acho que veremos o início de uma relação tipo pai-filho. Obviamente, Tony não tem filhos, e Peter neste momento não tem nenhuma figura masculina em sua vida, então eu acho que há uma dinâmica muito bonita que o Robert e eu criamos. E, não, retiro o que disse. Eu acho que Robert é mais como um irmão mais velho do que ele é uma figura paterna porque ele pega muito no pé do Peter, é duro com ele. Mas então há aquele nível de cuidado com ele, e Robert realmente trouxe algo adorável para o personagem. É um lado muito diferente do Stark, acho que jamais visto antes.

Falando do Stark, estávamos no estúdio e vimos um monte de coisas em respeito ao enredo do filme, então o tipo de relacionamento entre Peter e Stark é um pouco mais sobre o envolvimento do Homem-Aranha. Tony quer que ele resgate gatos de árvores e faça menos lasers. Como Peter responde a isso?

Eu não posso responder isso porque senão diria algo que não devo. Mas é sobre isso que eu estou falando onde Stark está se importando com Peter porque não sente que ele está pronto ainda para ser um Vingador, e eu acho que ele pensa que o que aconteceu na Alemanha foi demais para o Homem-Aranha na época. Então ele é muito persuasivo, e ele está constantemente tentando fazer Peter ficar no Queens e salvar gatos de árvores, e parar o ladrão, e blá blá blá, e não pensar nessa escala.

O traje avançado do Homem-Aranha que Tony Stark criou está cheio de tecnologia legal que não vimos em ‘Guerra Civil’. Como vimos no trailer, o logotipo Homem-Aranha no peito pode ser implantado como um drone remoto. A maior parte da tecnologia legal foi desativada como parte de alguns sistemas de segurança, e Tony pode acompanhar o processo via GPS.

Em ‘Guerra Civil’ vimos Peter interagindo com uma tecnologia muito antiga. Você precisou de alguma explicação pra entender essa tecnologia?

Eu me lembro de ter feito aquela cena com o Robert, e perguntei a um dos caras da produção: “Você pode me explicar o que estamos fazendo aqui?” Porque eu estava desparafusando um DVD, e Robert estava tipo, “Cara, não sei o que Tony Stark faz.[risos], apenas atue, você consegue.” Foi ótimo.

No set de filmagens há algumas referências como no armazém de Toomes, tem um desenho à lápis na geladeira, feito pelo seu filho, do Homem de Ferro e do Hulk lutando contra um Chitauri durante a batalha de Nova York e na sala de aula, uma imagem de Howard Stark está  em um mural ao lado de Galileo e de Einstein.

Robert Downey Jr. retorna como Tony Stark, um mentor que prefere que o Parker desfrute seus anos de ensino médio e pare de bancar o super-herói. Sabemos que Stark fundou Damage Control. Não é apenas um cameo – Downey aparece em cinco ou seis cenas. A relação de Tony e Peter é uma dinâmica entre um irmão mais velho e irmão mais novo. Tony Stark não deveria originalmente aparecer no filme, mas depois que viram sua interação com Peter Parker em ‘Guerra Civil’, decidiram fazer ele parte da história.

Fonte: Slash Film

 

postado por Maria Eduarda