Robert Downey Jr. fala sobre os “Acordos de Sokovia” e coisas irreparáveis!

 

Durante a entrevista, Downey falou sobre os “Acordos de Sokovia” da Guerra Civil, como super-heróis realmente não usam passaportes, o racha entre Capitão América (Chris Evans) e Homem de Ferro, a necessidade de Tony em ter o controle e mais. Confira a entrevista completa abaixo.

R: Onde está o Tony [Stark] como o encontramos no filme? Ele está em um lugar bom ou um lugar ruim?

RDJ: Bem, nunca é divertido quando ele está em um lugar bom é? [Risos] Tony é … Bem, eu acho que talvez uma forma mais eficiente de responder à pergunta é onde está o universo? [MCU] E eu comecei a pensar na época do primeiro Vingadores: “Essas pessoas não usam seus passaportes muitas vezes, não é?”. Você sabe, vamos deixar as metáforas e comparações de lado, vamos usar um complexo industrial. Eu acho que a natureza fundamentada no primeiro Homem de Ferro é onde o sucesso desse universo, está baseado hoje. Acho que as pessoas ficaram muito animadas sabendo que esta era uma possível ocorrência tecnológica; Se tornou uma coisa realmente estranha onde, até mesmo algumas das pessoas que constroem as coisas que usamos para o entretenimento são contactados por empresas como a DARPA (Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa) e ficam dizendo: “Sim, nós estamos realmente fazendo isso, e queremos falar com você.” 

É alucinante, eu adoro essas coisas. Mas, para responder à pergunta, a Marvel teve bastante cuidado nestes outros universos, como por exemplo o mundo de Thor, onde colocaram Chris Hemsworth que teve um trabalho bem difícil no começo e depois continuou aprimorando ainda mais, e depois Chris Evans eu acho que teve a tarefa mais difícil ao lançar o Capitão América. Mas, então, no momento em que o primeiro Vingadores saiu, Jon Favreau estava tipo, “O que vamos fazer agora, buracos de minhoca?” Então, quando Jon voltou e interpretou Happy Hogan em Homem de Ferro 3, ele disse: “Eu não vou particpar disso, sem ao menos tirar sarro de você e seus amigos super-heróis e todas essas coisas que você está fazendo agora. Porque eu entendi o primeiro Homem de Ferro, e eu sabia como fazer. Mas Joss Whedon e esses outros caras sabem como fazer coisas novas”.

Mas a grande questão veio apenas por causa de argumentos, “Qual é o fator credibilidade?” Então conseguimos nos encontrar, eu falo que esse filme é Capitão América 3, embora seja Capitão América: Guerra Civil, e uma das questões que foram levantadas sobre o filme…os Acordos de Sokovia, que por sinal, eu amo a complexidade dela. É como se você estivesse no seu primeiro ano de artes do teatro, mas às vezes é como: “Cara, esses Acordos de Sokovia são um grande problema” [risos ].

Eles realmente são, Deus. Nós poderíamos usar algumas coisas do Acordo de Sokovia. E é onde Tony se encontra no meio disso.

R: Quão ruim as coisas ficaram entre Tony e Steve?  

RDJ: Bem, mais uma vez, eu quero dar os créditos aos Russos (diretores do filme), quem eu realmente adoro. No começo, tudo se trata de uma conversa…então as gravações começam. Quando eu recebi o roteiro e li como o filme seria eu fiquei tipo: “Uau!” E eles disseram: “Este é o padrinho dos filmes de super-heróis” e eu disse: “Você acabou de dizer isso, e agora será obrigado a cumprir”.

Foi a mesma coisa quando Todd Phillips chamou Se Beber Não Case: Parte II, de “O Padrinho das comédias”  Em última análise, o que não queriamos era uma história com um monte de bobagens ideológicas indo e vindo, porque é como, “Por vocês estão falando? Nós gostamos é quando você está fazendo coisas espirituosas ou quando você está em uma posição estranha ou quando você está realmente sofrendo ou quando você está lutando”, então eu, apenas como um fã desses filmes, não iria querer ver nada irreparável acontecer, mas eu também gosto quando ocorre algo irreparável.

R: Com o Visão, você não passa muito tempo com o seu filho, a sua criação.

RDJ: Eu sei, esse é um ótimo assunto, eu me sinto um pouco estranho sobre isso. [Risos] Me sinto mesmo, mas eu almoçava todos os dias com Paul Bettany, então eu, Robert, fico muito confortável com a minha criação/linhagem. Um homem adorável, lindo . Mas também quero dizer que precisa dar o sangue, e sangue é tipo, “Bem-vindo ao universo Marvel, pegue a pistola de cola, transforme ele em roxo, coloque essa capa nele; agora por que não colocamos ele pendurado num cinto para fingir que ele voa? “Ele é como, [Imitando o sotaque de Paul Bettany] Meu irmão! “

R: Então JARVIS e Tony tiveram um bebê, nós vamos passar mais tempo com ele neste filme? [Se referindo ao Visão]

RDJ: Se você olhar o que aconteceu com Ultron, foi uma concepção imaculada. Tony não pretendeu ter um bebê com JARVIS. Apenas aconteceu acidentalmente. É estranho para você olhar este personagem do primeiro Homem de Ferro, onde ele é aquele cara imprudente e que não quer entrar no hum-drum-vee (a cena onde Tony diz que o carro da diversão fica lá atrás), a segurança é a última coisa que ele dá a mínima, um cara que agora é preocupado com a segurança em uma escala global, onde ele completa 180 anos como personagem?

Eu acho que é apenas uma função da idade, eu não sei. Onde ele faz uma análise completa como um personagem? Eu acho que é apenas uma função da idade, eu não sei. Quer dizer, eu conheço umas pessoas com 60 anos de idade imprudentes e algumas crianças de 30 anos muito práticas, mas de um modo geral, para mim, parecia que era o arco mais viável. Mas também eu não queria soar como “Tudo bem, o que é bom para a história?”. O Tony, de repente ficou tipo “Quer saber? Estes Acordos significam o mundo para mim “, porque isso é normalmente o que as pessoas fazem quando conquistam alguma coisa, e eu não quero dizer que desprezo a política, mas eu não acho que há alguma maneira especial de ganhar pelo tipo de pessoa que eu sou.

E o que Emerson (quem é Emerson Robert?) diz: “Você vai me contar as escolhas políticas de alguém e eu vou te dizer tudo sobre ele?” sobre ele?” E eu gostaria de ser um pouco mais firme no solo do que só dentro de mim, mas quando as motivações de alguém, mesmo se eles acabem caindo em um lado ou outro do debate, quando elas são pessoais e também quando elas estão mascaradas por algo que só o público sabe, é realmente a sua motivação, que para mim é o que eu chamo de entretenimento. Então, eu gosto desse tipo de coisa.

R: Vimos uma cena em Age of Ultron onde Steve e Tony estão na fazenda do Clint (Gavião Arqueiro) e teve um breve confronto, foi como uma visão do que está para acontecer neste filme?

RDJ: Sabe, é engraçado, eu nunca sei quando as provocações são lançadas, eu sou como, “Uau, isso é uma cena muito legal. É isso? É agora que nos provocamos?” [Risos] eu acho que é difícil saber, você coloca as “sementes” (provocações) e, em seguida, elas florecem – Eu lembrei de uma coisa que o público disse: “Cara, isso é uma cena poderosa no filme! “ e eu era como, “Nós filmamos essa cena antes do almoço, eu não sei, ele rasga um pedaço de tronco ao meio e eu disse algumas palavras,” mas eu estava realmente pensando, “Eu tenho que ir lá consertar o John Deere? (O trator da família Barton) Oh, não, não, isso é porque … Tudo bem, eu entendi”, então eu só estou tentando deixar as coisas no lugar.

Fonte