Em Capitão América: Guerra Civil, Robert Downey Jr. vive mais uma vez o Homem de Ferro. Nessa nova aventura, ele tenta convencer o Capitão América e os Vingadores a causarem menos estragos às cidades com suas lutas épicas

Homem de Ferro está de volta. Em Capitão América: Guerra Civil, que estreou na quinta-feira (28), Robert Downey Jr. interpreta mais uma vez Tony Stark, milionário que encarna o herói nas horas em que o planeta está em perigo. Nessa nova aventura, Stark enfrenta Steve Rogers (Chris Evans), nome de civil do Capitão América. Os dois entram em embate porque Stark defende que Os Vingadores, grupo de super-heróis que defende a Terra de grandes vilões, controlem suas ações, já que as grandiosas batalhas que eles travam contra criminosos têm afetado negativamente a vida dos humanos. Em entrevista, Downey Jr. fala mais sobre o novo trabalho.

QUEM:  O que está acontecendo com Tony Stark quando a história começa?
ROBERT DOWNEY JR.:
Nesse filme, existe uma pergunta no ar que é: “Por que ninguém incomoda esses Vingadores quando eles destroem os lugares por onde passam enquanto salvam o mundo?” E Tony está pensando que já está mais do que na hora de se discutir isso. Ele acha que os heróis não podem mais simplesmente agir com a mesma autonomia que tiveram até aquele momento.

Ao saber que faria esse filme, o que o empolgou mais no projeto?
RDJ:
Os filmes dos Vingadores são sempre essa coisa colossal, ambiciosa… Mas, para mim, esse filme foi uma ideia inteligente da Marvel. Você não quer ver os dois personagens dilacerarem seu relacionamento porque sabe o quanto isso pode se disseminar. O que tem de acontecer, então, para que haja qualquer tipo de equilíbrio ao final de um desentendimento como esse entre o Steve e o Tony?

Qual foi a parte mais divertida do longa para você?
RDJ:
Tem sido simplesmente um retorno a um sentimento de liberdade e colaboração, motivo pelo qual me juntei a esse grupo. Existe uma indústria massiva, mas, no final das contas, sou apenas eu no personagem de Tony Stark e ainda estou me divertindo.

Como que você acha que o público vai se conectar a esse filme?
RDJ:
Acredito que o público terá uma grata surpresa e ficará intrigado com as escolhas que o Capitão América faz. E Tony vai sempre bagunçar um monte de coisas. Ele tem perdas bem no início do filme e isso vai fazer com que ele queira se reconectar aos relacionamentos que ele já tem há muito tempo.

Como foi trabalhar com Anthony e Joe Russo?
RDJ:
Não tem nada que eu não goste em relação aos diretores. Eles são simpáticos à forma como trabalho, então dou um passo atrás e sigo a sua liderança. É a dança criativa que você quer que exista.

 

Fonte