A minissérie foi assistida por um total de 1,7 milhões de espectadores em todas as plataformas, ultrapassando Watchmen (1,5 milhões) e The Outsider, adaptação de Stephen King (1,2 milhões).

Para os amantes de mistérios e investigações, Perry Mason é a série perfeita!

O personagem foi originalmente criado por Erle Stanley Gardner, se tornando conhecido quando ganhou sua própria série de TV, interpretado pelo ator Raymond Burr. Mais tarde, o personagem também recebeu sua versão em filmes e rádios, retornando para as telinhas em 2020.

Produzida por Robert Downey Jr. a nova minissérie estreou dia 21 de junho na HBO e é bem mais sombria que o seriado original. Na Los Angeles dos anos 1930 tomada pela pobreza, Perry Mason (Matthew Rhys) trabalha atualmente como detetive particular por conta das diversas dificuldades financeiras, além de ser assombrado por traumas vividos durante a guerra, enquanto também precisa lidar com o drama de um casamento fracassado.   

A temporada cobre apenas um caso, com grandes riquezas de detalhes e bastantes perturbadores, sobre o mistério que cerca um bebê sequestrado e assassinado que teve os olhos costurados, abordando a corrupção no meio da polícia, o jornalismo sensacionalista, e uma seita religiosa liderada pela irmã Alice (Tatiana Maslany).  

Apesar de ser relativamente nova, a minissérie já caiu nas graças de muita gente. De acordo com Hank Stuever, Perry Mason é a lição perfeita de como atualizar um ícone, honrando o personagem, dando-lhe a profundidade e a complexidade emocional que ele nunca antes teve. Além de ser perfeita e metodicamente, expõe um mistério convincente e expansivo, ao mesmo tempo em que dá forma notável a personagens cujas histórias ressoam com o público moderno.

“Matthew Rhys veste o famoso fedora do advogado por uma história de origem impressionante que ainda está em sintonia com as sensibilidades modernas. É a série de TV mais bonita que eu já vi desde The Knick. Um dos melhores que eu já vi. Realmente”. (Ben Travers, site Indie Wire)

Segundo o crítico Daniel D’addario (Variety) o show é bonito de se ver e apresenta um excelente trabalho de Rhys, Chalk, Maslany e Taylor, Rankin, Lithgow, e Juliet Rylance.

“Perry Mason é sua própria fera. Parece maravilhoso, todos os cenários e figurinos decorados com detalhes imaculados. Algumas cenas, como a emocionante abertura, parecem bem cinematográficas, e a atuação é forte por toda parte”, afirma Ed Cumming, crítico do site Independent.

Além de ser um show bastante elogiado pelo elenco, figurinos, e cenário, Perry Mason não deixa a desejar em termos de personagens secundários, mostrando pontos importantes, e que nem sempre foram transparentes em outras obras de TV. Como por exemplo, o renascimento evangélico que dominava a Califórnia naquela época, retratado pela irmã Alice, julgada como uma das personagens mais interessantes da série. Alice é líder da Assembléia Radiante de Deus, que prega três sermões por dia para uma congregação faminta e uma audiência de rádio que atravessa o país, exercendo grande poder quando fala e planeja usá-lo de maneiras que só ela pode conhecer.

Além de Matthew Rhys e Tatiana Maslany, a série também conta com John Lithgow, Juliet Rylance, Shea Whigham, Chris Chalk, Veronica Falcon, Gayle Rankin, Justin Kirk, Jefferson Mays e Nate Corddry no elenco principal.

E você? Já conferiu Perry Mason?

A temporada contará com oito episódios, e vai ao ar todo domingo às 22H na HBO.