Nota do RDJBRazil: Caros leitores, a entrevista a seguir foi feita por uma revista francesa, faremos o possível para que seja entendível á todos. Infelizmente não temos ninguém que fale francês na equipe, por isso já avisamos que algumas partes podem soar confusas. Obrigada e boa leitura

Em termos de carreira, ele retorna como Homem de Ferro em Vingadores: Ultimato, o último filme da Marvel que vem quebrando todos os recordes nas bilheterias. Na vida pessoal, Robert Downey Jr. fala sobre seu sucesso, sobre seu papel como pai e seu amor por sua esposa.

Você está de volta nas telas como Tony Stark, na equipe dos Vingadores. Ao interpretar o Homem de Ferro, você certamente tem algo em comum com ele?

Acho a comparação um pouco difícil! Tony Stark se coloca em um pedestal … Eu tenho a impressão de que é ele quem começa a se parecer comigo. Ele cresceu em maturidade, tem menos e menos necessidade de ser o centro das atenções. Como eu na vida! (Ele sorri.) Ele está mais interessado em seus companheiros, assim como eu. De qualquer forma, fico feliz em notar que ele se leva um pouco menos a sério

Você não está cansado de interpretar esse super-herói?

Eu não sou de aceitar filmes que me incomodam. Eu gosto muito de trabalhar com esse time. Eles são todos extremamente talentosos em diferentes formas. Hoje, é muito difícil ter sucesso em entreter as pessoas, e acho que a Disney e a Marvel sabem como fazer isso muito bem. 
Recentemente, levei meu filho mais novo para a Disney para comemorar o seu aniversário de 7 anos e posso dizer que este é realmente, como dizem, o lugar mais feliz da Terra. (Sorri.) Ele me levou diretamente para a Space Mountain (montanha russa). Eu pensei que ele ia gritar mas ele adorou e eu quase vomitei toda a minha refeição do dia e no dia anterior!

Você estava tão confortável quanto ele na sua juventude ou adolescência?

Eu tive uma adolescência bem delicada. Eu saí de Nova York para participar de uma escola de teatro na Califórnia e acabei passando dos limites. Todos os californianos se vestiam como surfistas, com capuz e Vans nos pés, enquanto eu andava por ai com capas de chuva e mocassins. (Risos) Logicamente, sofri um pouco de ansiedade. Todo adolescente precisa encontrar seu equilíbrio e para isso é importante que sua vida seja um pouco como uma aventura.

Você acabou de completar 54 anos, você tem mais autoconfiança hoje?

É interessante que você me faça essa pergunta, porque notei que há um pequeno fenômeno estranho: quando você está na casa dos cinquenta e está de dieta, você lentamente ganha de volta o peso que acha que está perdendo. Às vezes você perde peso, mas volta imediatamente! Eu começo a ser seriamente nostálgico pelo tempo em que eu tinha cintura. E assim, não, não tenho certeza se tenho mais confiança em mim mesmo à medida que envelheço.

Que conselho você daria ao Robert Downey Jr., que acabou de começar no showbiz?

Saia da cama agora mesmo! (Risos) Não, eu acho que eu seria um pouco carinhoso e atencioso, como um irmão mais velho. Se eu pudesse, eu sussurraria em seu ouvido: “Cara, você não tem ideia do que está acontecendo bem na sua frente, então cuide-se e aguente firme, porque o futuro vai trazer grandes surpresas “.

E como seus filhos vivem nesse meio? Como é pra eles, ter um pai famoso?

Os meus filhos não se importam com o que faço na vida! Talvez daqui a quarenta anos eles estejam curiosos sobre o que eu estava fazendo como profissão, mas isso não vem ao caso agora. Os dois mais novos (Exton, de 7 anos, e Avri, de 4 anos), só se interessam por seus brinquedos. Nada mais importa a não ser isso!

Eles não pensam em você como Homem de Ferro?

Não, não o suficiente pro meu gosto! (Risos.)

Durante quase quinze anos, você parece feliz no seu casamento com a Susan. Como explica isso?

Nunca vi ninguém tão carinhosa como ela. Ela está sempre pensando em todos e se preocupando com todas as pessoas ao seu redor. Ela é na verdade uma mãe pra todo mundo. É muito comovente ver alguém que dá tanto pelos outros. Ela é uma verdadeira inspiração para mim. A minha mulher me ajuda a ser um homem melhor.

Foi ela que conseguiu te colocar de volta no caminho certo?

Sem dúvida. Ela me ajudou a ver as coisas mais claramente na minha vida. Me deu o desejo de dar uma segunda oportunidade a mim mesmo e, acima de tudo, ajudou a me recuperar e me deu o desejo de lutar, de enfrentar novos desafios todos os dias. Não sei o que eu teria me tornado se não tivesse tido a oportunidade de conhece-la.

Closer Magazine

Em entrevista a Empire Magazine, os diretores Anthony e Joe Russo, e os roteiristas de Vingadores: Ultimato, Christopher Markus e Stephen McFeely, falaram sobre as principais revelações, reviravoltas, mortes e muito mais. Confira abaixo 7 revelações sobre Tony Stark:

Robert Downey Jr improvisou aquela cena com o Capitão América

Quando Tony Stark é salvo pela Capitã Marvel, sua rivalidade na Terra o deixa cara a cara com Steve Rogers pela primeira vez desde sua confusão em Capitão América: Guerra Civil – e é justo dizer que Stark ainda guarda rancor, vemos isso quando ele chama Rogers de “mentiroso”. É uma fala que veio do próprio Robert Downey Jr.

“Acho que esse foi um dos momentos mais inspirados de Downey no filme”, diz Anthony Russo. “Ele tem seus motivos pra isso, ele é o cara que se sentiu abandonado por seu pai – você pode ver seus problemas de intimidade e confiança no momento em que ele se dirige ao Capitão. Downey realizou a cena com muita energia. Nós não fizemos isso muitas vezes, porque ele estava gostando tanto, tanto, que resolvemos manter”

Tony Stark poderia ter visitado Asgard

Uma vez decidida a viagem no tempo, os escritores tinham a tarefa de descobrir a quais eras do MCU (Universo Cinematográfico Marvel) os heróis retornariam – a ideia inicial era enviar o Homem de Ferro a um dos outros Nove Reinos.

“Tecnicamente em Thor: O Mundo Sombrio, o Tesseract está no cofre, pois o Aether também está lá”, diz McFeely. “Então, isso mandou Tony para Asgard, e ele tinha um terno furtivo invisível, e ele lutou com Heimdall, que poderia, claro, vê-lo. Eu acho que Joe [Russo] entrou e disse: ‘Por que não vamos para o primeiro Vingadores? É o maior filme, é o mais divertido, vamos nessa’”.

A Marvel não insistiu na morte do Tony, foi uma escolha do Robert

No final de Ultimato, o personagem que deu início ao Universo Cinematográfico Marvel não existe mais – Tony Stark se sacrifica para acabar com Thanos de uma vez por todas. É uma maneira muito pesada de encerrar um arco de 22 filmes. Mas enquanto faz todo o sentido como um fim lógico para o Homem de Ferro original, a morte de Stark não foi insistida pelo estúdio.

“A Marvel como um todo disse: ‘Achamos que esse pode ser o momento [para Tony morrer], mas se você tiver uma boa razão para não fazê-la, sinta-se à vontade – faremos o que for necessário’”, diz Markus. “Mas realmente pareceu, particularmente com o que Tony experimenta após a pausa de cinco anos – que ele se casou, teve uma filha e está vivendo uma vida muito saudável e pacífica pela primeira vez, e ele teve cinco anos completos de surpresas. – que não havia mais onde ele precisava ir. Este era um cara que tinha feito sua jornada completa, até o fim, tinha experimentado uma completa reabilitação de seu personagem no primeiro Homem de Ferro.”

Era lógico que a morte do Tony seria relacionada ao estalo de dedos

Embora a morte trágica de Stark não tenha sido decretada pela Marvel, a conclusão lógica de Ultimato levou naturalmente à eventualidade de que o Homem de Ferro seria o único capaz de matar Thanos e pagar o preço final por isso.

“Sabíamos que um novo estalar de dedos teria que desfazer o que Thanos fez – parecia apenas uma maneira equilibrada de abordar a narrativa”, explica Joe Russo. “Todas essas questões se tornam lógicas. Quem tem o conhecimento técnico para criar algo que possa segurar as jóias? Seria preciso um gênio como Tony Stark para descobrir isso. Ele usa a nanotecnologia porque o Hulk tem que colocar a manopla, o Thanos tem que colocar a manopla, o Tony tem que colocar – um tamanho único. Isso tudo faz parte do plano triste do Doutor Estranho, manter Tony vivo no final de Guerra Infinita, para que ele pudesse morrer depois salvando a todos. Nós sentimos que havia uma quantidade incrível de tragédia nisso.”

Foi escolha do Robert que Tony Stark morresse em silêncio

Um dos super poderes de Tony Stark era a sua boca – disparando gracejos e frases curtas impactantes. Mas quando chega a hora de ele morrer, ele não pronuncia uma única palavra, uma escolha que veio do próprio Robert Downey Jr.

“Robert ficou tipo: ‘Eu não vou dizer nada. Não quero falar porque não me parece honesto. E eu não achei que naquele momento ele teria a capacidade de falar “, revela Joe Russo. “Ele estava tipo, ‘eu vou ficar aqui, e você pode deixar rolar com os outros personagens, mas eu mal vou interagir porque isso parece uma escolha verdadeira para mim’.” E os diretores concordaram com a idéia. “Para ter um personagem com tanta dor, à beira da morte, foi importante para nós criar a sensação de que, quando você olhava pro Tony naquele momento, sabia que ele estava morrendo, e você teve que processar aquilo naquele momento”, acrescenta Anthony.

O sacrifício de Tony muda a ênfase do final de Guerra Infinita

Em Guerra Infinita, aprendemos que as chances de os Vingadores derrotarem Thanos são quase impossíveis – Doutor Estranho, vendo onde os heróis mais poderosos da Terra triunfam. E agora que sabemos que é o sacrifício final de Tony Stark para derrotar Thanos. “Cumberbatch faz uma longa pausa, e você sabe que ele está olhando para o Tony, e ele faz: “Um”, e na hora você entende o que ele quer dizer, “Você tem que morrer – não há outro jeito”, diz McFeely.

Os personagens que morreram, permanecerão mortos. Não há previsão de reboot

Parte do ciclo de vida dos filmes de quadrinhos, é a eventual reinicialização (reboot) – os personagens icônicos só permanecem mortos por tanto tempo por que uma nova “encarnação” vai acontecer. Mas de acordo com os escritores, esse não é o caso aqui. Não espere ver um novo Tony Stark ou Steve Rogers em breve.

“É a natureza do MCU”, argumenta Markus. “Não é um lugar onde você pode reiniciar um personagem e de repente o Homem de Ferro está com 15 anos de idade e todo mundo ainda tem a mesma idade. Os personagens têm que sair de cena, e o universo ainda tem que ficar de pé. Então, se você vai tirar as pessoas do tabuleiro, isso precisa acontecer de verdade.”

Entre as muitas coisas que um grande Chef tem que dominar, é aprender a cozinhar sobre pressão, cronometrando cada ingrediente para que o prato saia perfeito. De certa forma, Jon Favreau é como um grande chef, equilibrando sua carreira de escritor, diretor e ator. O diretor está a menos de 50 dias do lançamento de seu remake de ‘O Rei Leão’, sua participação em ‘Vingadores: Ultimato’ e no próximo ‘Homem-Aranha: Longe de Casa’, mas ele não parou por ai. Encontrou tempo para produzir um outro empreendimento – uma nova série de culinária chamada “The Chef Show“.

Favreau se entusiasmou com seu amigo e colaborador Roy Choi, explicando que depois de filmar “Chef” (disponível na Netflix), ele continuou a cozinhar por conta própria como um hobby, mas ele estava procurando maneiras de continuar sua amizade com Choi. No trailer da série, a convidada Gwyneth Paltrow descreve esse período de tempo “como se estivesse sendo despejada”.

Então, ao invés de abrir um restaurante juntos ou fazer uma sequência do filme (já que eles sentiam que o filme funcionava como um standalone), Favreau teve uma idéia. Quando ele estava indo para Atlanta para começar a trabalhar em “Homem-Aranha: De Volta ao Lar” de 2017, com Tom Holland e Robert Downey Jr, ele chamou Choi para pedir a ele que se juntasse ao grupo na Geórgia.

Entre os convidados da série estão: Gwyneth Paltrow, Robert Downey Jr, Tom Holland, Kevin Feige, e os diretores Anthony e Joe Russo.

“O elenco da Marvel, que é uma família, há mais de uma década. Então, quando somos só Robert e eu, temos toda essa experiência compartilhada do que passamos. Eu não acho que eu já vi ele cozinhar muitas coisas “, disse Favreau sobre Downey.

Quando perguntado sobre a campanha que estão fazendo para Robert Downey Jr ganhar o Oscar por seu desempenho em Vingadores: Ultimato, Jon Favreau comenta:

“Ele tem o meu voto, com certeza”, declarou Favreau. “Eu acho que ele foi capaz de descobrir e explorar as dimensões do personagem ao longo de muitos filmes, ele deu o seu próprio toque. Mas eu tenho que dizer que, se você olhar, especialmente como começou e como terminou em suas performances entre o primeiro filme e “Ultimato”, houve um arco realmente pensativo para o personagem, tanto em sua performance quanto em como todos os cineastas contribuiram para esse personagem”

Ele continua: “Fico feliz por ter feito parte disso e estar lá por aquelas cenas significativas como ator, mas também por estar lá como amigo, e vê-lo explorar profundamente as coisas através de um personagem [quando] você normalmente não tem essa oportunidade. E ele aproveitou ao máximo.”

“The Chef Show” já está disponível na Netflix, não percam 🙂

Variety