Os diretores de Vingadores: Ultimato, estão próximos de fechar um contrato para o seu novo filme com Robert Downey Jr.

Os diretores de Capitão América: Guerra Civil, Vingadores: Guerra Infinita e Vingadores: Ultimato sabem bem como trabalhar com atores da Marvel, eles já se uniram com o ator Chris Hemsworth, para o bem-sucedido lançamento de Extraction, sob a produção da AGBO Films (empresa independente de produção de filmes e televisão liderada por Anthony e Joe Russo), e em breve lançarão Cherry, estrelado pelo ator Tom Holland. Enquanto isso, existe um projeto que será uma reunião particularmente interessante e que está quase chegando a ser concretizado. Anthony Russo e Joe Russo provavelmente trabalharão com Robert Downey Jr. novamente em um futuro próximo.

A dupla de diretores tem trabalhado duro apesar da paralisação de Hollywood em 2020, desenvolvendo projetos para a AGBO. Em abril, Joe Russo mencionou uma série de ideias que incluíam estrelas da Marvel. Agora, quando perguntado diretamente sobre um projeto com Robert Downey Jr., ele diz ao ComicBook.com que “não vai demorar muito” até que esse projeto os reúna com o intérprete de Tony Stark.

Em conversa com o ComicBook.com em abril, Joe Russo revelou pela primeira vez a expectativa de se reunir com Robert Downey Jr.

“Adoraríamos fazer algo com Robert Downey, estamos falando de algumas coisas com ele”, disse Joe Russo. “Há outro projeto para conversar com [Chris] Evans, há mais dois projetos sobre os quais estamos conversando com Hemsworth. Há outra coisa com a qual estamos conversando com Holland. Adoramos nossa família, nossa família Marvel. Todos gastamos muito tempo juntos, rimos juntos. Nós gostamos de trabalhar juntos e isso é uma prioridade para meu irmão e eu. Temos que amar os aspectos criativos de um projeto tanto quanto amamos as pessoas com quem iremos trabalhar para que todos tenham ótima qualidade de vida “.

O projeto ainda não foi anunciado oficialmente, e nem Robert se manifestou sobre o assunto. O jeito como sempre, é esperar mais informações. Fiquem ligados nas nossas redes sociais para saber os detalhes em primeira mão.

Saiba como pode participar deste evento apresentado por Robert Downey Jr., Susan Downey, Will.i.am e Nadine Zylstra.

A série The Age of A.I (2019) é uma parceria do Youtube Originals, serviço de assinatura paga de streaming, com a Team Downey. Os episódios são voltados em como a inteligência artificial vem transformando a maneira como as pessoas vivem e trabalham atualmente.

Para participar do evento que acontecerá no dia 9 de julho, é preciso registrar seu nome, email e algumas outras informações neste site. Após registrar-se, você receberá um email com todas as instruções.

Você pode acompanhar os oito episódios da série legendados aqui.

Minissérie produzida por Robert Downey Jr e Susan Downey chega agradando a crítica e estrelas da série comentam sobre sua representatividade.

O primeiro episódio foi ao ar neste domingo (21) trazendo uma adaptação sobre o detetive Perry Mason, atormentado pelos efeitos da guerra em Los Angeles no ano de 1931, no período da grande depressão.

A minissérie estreou com nota 71 no Metacritic e com 100% de aprovação no Rotten Tomatoes baseando-se em sete críticas, mostrando ter agradado grande parte dos críticos.

As notas se mantiveram altas após o acréscimo de mais criticas em ambos os sites e a série recebeu o selo “Fresh” no Rotten.

A minissérie aborda a vida do detetive investigando o caso do sequestro de um bebê. A trama envolve pessoas importantes, a igreja, corrupção e questões raciais. Como afirmou a Produtora Executiva Susan Downey:

Infelizmente onde houver poder, seja policial, judiciário ou religioso, vai haver corrupção, é algo atemporal. Assim como era em 1930, é nos dias de hoje. Mas queríamos levantar sobre esses assuntos dispostos a derrubar esse sistema, sem medo de repercussões

Em entrevista à Variety, John Lithgow que interpreta um dos personagens na série falou que a série apesar de se passar num contexto de décadas atrás, tem semelhanças com o cenário em que os EUA estão passando agora.

“Quem sabia que estaríamos vivendo um período que lembrou a Grande Depressão, desemprego atingindo níveis nunca vistos desde a Grande Depressão ou salários em queda. De repente, é extraordinariamente oportuno”.

O mistério de oito episódios irá centrar na fase inicial do detetive Mason, interpretado por Matthew Rhys, que trabalha como investigador particular, e ainda não como advogado de defesa como é exibido na série de 1950.

Quando questionado a respeito dos temas de justiça social, comunidades marginalizadas e da questão racial serão abordados de maneira diferente na minissérie, Rhys diz que sim e não.

Tatiana Maslany que interpreta a irmã Alice acrescenta que as pessoas que ficarão surpresas com o cotidiano abordado na série são as pessoas brancas:

“temos o luxo de ver isso como normal, ao invés de ter vivido isso desde sempre, sabe?”

Para Chris Chalk, os temas de tensão e conflito racial não são necessariamente novos. Mas ter um personagem negro como o dele (policial Paul Drake) sendo trazido à tona e humanizado é certamente algo novo e diferente da maioria dos shows ambientados naquela época.

“O mundo não mudou muito desde quando o filmamos e quando o programa foi ao ar. Ainda é um mundo racista que não se importa com ninguém que não seja um homem branco, cristão e heterossexual. Tudo o que estamos fazendo é dizer a verdade de uma maneira muito digerível. E apenas ter um Paul Drake como policial no seu programa, é um passo.”

A minissérie contará com um total de 8 episódios, que serão lançados semanalmente.

FONTE