O presidente da Marvel StudiosKevin Feige, e o ator Paul Bettany, que viverá o androide Visão em Os Vingadores 2 – A Era de Ultron, falaram um pouco sobre o filme em entrevistas aos nossos parceiros do Collider durante a San Diego Comic-Con.

Questionado sobre a escolha de Ultron como vilão do longa, Feige deu todo o crédito para o diretor Joss Whedon. “Isso não estava nas primeiras conversas, mas posso dizer que, como acontece em quase todos os filmes durante a produção, diálogos sobre o que podemos fazer depois acontecem. O que faremos? Foi aí que apareceu o Ultron. Josh falou: ‘O que quer dizer com ‘o que faremos’? Só temos uma coisa a fazer. É Ultron’.” E prosseguiu falando sobre o desenvolvimento da história e a introdução do personagem. “Eu acho que foi a [trama] que nós mais desenvolvemos dentro no nosso universo, por várias razões. Primeiro, porque há algumas histórias vindas da aparência de Ultron nos quadrinhos que nós sempre amamos e porque nós sempre soubemos que ele seria o tipo de vilão que nós sempre nos preparamos para utilizar“.

Sobre a possibilidade de Thanos ser o grande vilão dos próximos filmes, Feige deu apenas pistas. “Ele não faz parte de Os Vingadores 2. Eu acho que Thanos faz o que ele quiser e aparece onde quiser. E eu não vou dizer para ele o contrário, então não tem como saber. Aliás, nós ainda estamos fazendo Os Vingadores 2, então nada é definitivo de um jeito ou de outro.” E sobre a aparição de Thanos em Guardiões da Galáxia? ” Foi basicamente um modo de avançar no que nós havíamos mostrado em Os Vingadores. Nós queríamos que Ronan fosse o vilão e que o foco fosse na formação dos Guardiões, então escolhemos não perder muito tempo com Thanos. Nossa intenção com ele foi mostrar que existe alguém atrás de alguém, que está atrás de alguém. Como o Imperador foi para Darth Vader em O Império Contra-Ataca”.

Em relação aos próximos personagens a serem lançados no cinema (Guardiões da Galáxia, Doutor Estranho e Homem-Formiga), o presidente da Marvel explicou como poderia introduzir tantos personagens no mesmo universo de Os Vingadores: “Nós já brincamos com isso. O objetivo não é entrar para o Livro dos Recordes como o filme com o maior número de personagens. Isso é assustador e a chance de decepcionar é muito grande, que é o que nós sempre tentamos evitar em nosso universo. Mas sim, todo personagem que é introduzido em nossas histórias tem a oportunidade de aparecer em outros filmes de algum modo inesperado”, disse. E ainda falou sobre os elementos novos que esses personagens podem adicionar aos filmes da Marvel. “Você já sabe que Homem-Formiga é uma história de assalto. Também é uma história sobre o mentor e seu aprendiz, um herói passando sua capa para outra pessoa, algo que nós ainda não fizemos. São os dois únicos elementos para nós neste filme. Com Doutor Estranho, é uma história de origem clássica da Marvel, pois ele tem umas das melhores origens de todas e é nossa oportunidade de levar isso para um lado sobrenatural. Mas qual é a definição de sobrenatural? Isso varia. Nós adoramos a ideia de brincar com dimensões alternativas. Doutor Estranho na viagem de ácido, passando por outras dimensões e reinos é algo que achamos muito legal. Brincar com as percepções da realidade.

O ator Paul Bettany, que nos três filmes do Homem de Ferro e no primeiro Os Vingadores deu voz à inteligência artificial J.A.R.V.I.S, também falou um pouco sobre os filmes e o seu novo papel como o Visão. “Eu não posso dizer [sobre a relação entre J.A.R.V.I.S. e Ultron], mas sei que existe uma. Antes, eu ficava no estúdio 45 minutos dando voz a J.A.R.V.I.S. e eles me davam um enorme saco de dinheiro. Eu pensava ‘Isso é real?’. E agora eles querem que eu trabalhe pelo meu dinheiro, o que é muito bom e transpirante, que vocês verão quando tudo for revelado. É muito legal mesmo.” Bettany também falou sobre o que mais chama sua atenção sobre Visão. “A melhor parte do meu trabalho é que, não importa o quanto de pesquisa eu faça, eu nunca vou saber tanto sobre Visão quanto Kevin Feige e Joss Whedon, então é bom poder compartilhar um pouco dessa resposabilidade com eles. O que me chamou a atenção foi este tipo de criatura nascendo e sendo onipotente e ingênua ao mesmo tempo, o perigo que isso provoca e a natureza de algo tão complexo que nasceu tão poderoso e em poucos segundos. As escolhas que ele faz moralmente são complexas e muito interessantes.

O ator também citou as diferenças entre os dois personagens e como os Vingadores vão se relacionar com Visão. “Sua relação com Stark é um pouco paternal, com a Viúva Negra tem um pouco de proteção. E acho que alguns deles têm um pouco de inveja [risos]. Mesmo que J.A.R.V.I.S. seja um personagem um tanto atrevido, Visão não vai perder muito disso. Conforme ele nasce e se torna mais real, vendo o mundo como ele é, fica difícil ser irônico. Ele é alguém que está aprendendo como as coisas são e de um modo muito rápido. Mas ele fica mais atrevido conforme o filme prossegue.” E continuou dando mais detalhes sobre Visão. “Ele é muito bom com socos. Ele tem a habilidade de mudar sua densidade e isso é brilhantemente explorado por Joss nos momentos em que Visão consegue fazer coisas que são de outro mundo. E ele vai descobrindo isso conforme o tempo“, completa.

Os Vingadores 2 – A Era de Ultron chega aos cinemas em maio de 2015.

Fonte