Marvel.com: Qual foi a coisa que você mais gostou nos filmes da franquia Homem de Ferro?

Guy Pearce: Eu vi o primeiro Homem de Ferro quando foi lançado na Austrália. A única coisa que realmente me impressionou foi a química entre Robert [Downey Jr.] e Gwyneth [Paltrow]. Eu apenas achei que os dois juntos foram fantásticos. E realmente funcionou bem. O filme teve um olhar diferente de várias histórias em quadrinhos ou outros filmes de super-heróis e eu achei que foi realmente envolvente. Foi muito emocionante assistir os filmes e depois tornar-se parte da equipe.


Marvel.com: O que você inicialmente achou de Robert Downey Jr. como Tony Stark?


Guy Pearce:Eu acho que ele lida com Tony Stark perfeitamente. Robert é tudo que você quer que um personagem principal seja. Ele não se leva muito a sério, mas ele é completamente e totalmente capaz de levar a história a sério quando é necessário. Ele é charmoso, ele é engraçado, ele é irreverente, e ele tem uma espécie de qualidade imprevisível sobre ele. Então, você nunca sabe bem o que você vai obter na tela. E eu acho que ele mantém uma grande linha com Tony Stark, onde ele honra o personagem que já existia e ele lhe dá algo que é incrivelmente divertido, inteligente e irreverente.


Marvel.com:Apesar de Tony Stark ser um gênio bilionário, há uma maneira que o público possa se relacionar com ele. Você acha que é esse o tema de todas essas personagens da Marvel?


Guy Pearce:Eu acho que é. É algo sobre a natureza comum dele. Mesmo que ele seja um bilionário e viva a vida que ele vive, ele nunca abandona sua ligação com a pessoa comum que ele é. Eu acho que isso é algo que um membro do público gosta. Eles provavelmente querem ser como Tony Stark, mas provavelmente eles também sabem que se eles tentassem Tony Stark iria conversar com eles.


Marvel.com: Ter uma história tão rica baseadas nas HQs ajuda a se referir ao seu personagem?


Guy Pearce:Quando eu comecei a falar com os caras da Marvel, eu queria ter um pouco de história sobre Killian e ver onde ele se encaixaria no esquema geral das coisas, de modo que me enviaram uma tonelada de material. Mas eu sei que em qualquer filme que eu trabalho que eu não posso ir tão longe com as pesquisas, porque chega um ponto onde eu preciso pular fora disso e, em seguida, entrar no mundo do cinema. Para mim, eu realmente precisava entender Killian no mundo dos quadrinhos, mas depois deixá-lo e ver o que iríamos fazer. Além disso, é sobre tentar encontrar algo novo e criativo, mas ao mesmo tempo eu quero homenagear os fãs de todas as tiras de quadrinhos da Marvel e Homem de Ferro e as pessoas que podem ser fãs de Killian.


Marvel.com: Tanto quanto os fãs, você está preparado para o seu mundo mudar depois deste filme?

Guy Pearce: Eu acho que cada vez que você faz um filme você tem que estar um pouco mais preparado que o seu mundo vai mudar em algum nível. Estou sempre aberto para que o isso traz. Obviamente [estar envolvido com] algo enorme como a Marvel que tem meio que um efeito realmente penetrante há décadas pode ser diferente. Portanto, pode ser uma grande mudança para qual eu estou pronto, mas vamos ver.

Marvel.com: Qual é a motivação principal de Killian neste filme?

Guy Pearce: Killian é um personagem interessante, ele é um cara que veio a este mundo com uma série de deficiências físicas. Ele nunca foi capaz de aceitar essas limitações e tem passado a maior parte de sua vida tentando superá-los da maneira que pudesse. Sua tenacidade e determinação cega na luta por uma vida melhor são vistos por alguns como irritante, muitas vezes ele até parece um pouco ofensivo. Ele só não vai aceitar jogar com as cartas que a vida lhe deu, e sendo tão inteligente como ele é, ele tem uma real oportunidade de mudar e tornar-se uma pessoa diferente. Então, vamos encontrá-lo no início do filme em um flashback e vemos o ambicioso, quase irritante cara que ele é. Ele tem oportunidades para tentar atacar pessoas como Tony Stark. Então você vê o personagem muito ambicioso e o vê mais tarde no filme completamente mudado, e Tony e as outras pessoas que o conheceram no início ficam tipo ‘Como isso aconteceu? Como ele fez isso?’ Mas ele é um personagem perigoso. Ele quer se tornar o todo-poderoso. É como uma espécie de força motriz e Tony Stark percebe finalmente do que esse cara é capaz.

Marvel.com:Fale sobre como é trabalhar com Robert Downey Jr.. Como foi a dinâmica no set?

Guy Pearce: Eu nunca sinto como se eu tivesse, de qualquer maneira, o mesmo intelecto de Robert, felizmente o roteiro mostrou isso. Mas Robert é brilhante. Ele tem uma mente que funciona a mil por hora. É um pouco complicado, porque ele gosta de improvisar bastante e eu gostaria de saber minhas falas, então eu estava sempre um pouco ligado se haveria algo de novo na cena. Mas, ao mesmo tempo tudo ele trouxe foi incrível, não há nenhuma dúvida sobre isso. Então você não pode negar que, se há uma ideia melhor na sua frente, você realmente tem que seguir com ela. Eu tenho sido um fã dele há anos, por isso foi muito emocionante trabalhar com ele. Eu sempre digo que uma das melhores coisas sobre ser um ator é trabalhar com os melhores atores. Ele é um talento maravilhoso, mas ele também é muito abrangente. Ele é simplesmente muito generoso em uma espécie de querer se certificar de que o que você está fazendo é o melhor que você pode fazer e que ele não é egoísta. Ele não está preso em suas próprias coisas. Ele é muito genuíno e aberto. Então, foi uma grande experiência.

Marvel.com: Descreva o triângulo amoroso entre Killian, Pepper e Tony.

Guy Pearce:Quando Killian começou sua organização AIM, há muitos anos, Pepper era alguém a quem ele contratou para trabalhar lá. Obviamente, desde o início, ele estava muito interessado nela. Ela era inteligente, atraente, ela era uma grande garota. Mas Killian era alguém em que ela nunca tinha se interessado. Quando encontramos Killian no início do filme, tudo nele é desagradável e ela sempre o manteve distante. Em seguida, anos mais tarde, quando ele vai até ela para basicamente financiar e envolvê-la novamente, ela se surpreende pela forma com que ele parece encantador e maravilhoso, além de sua atitude que também mudou. Então, ela é meio que tomada por ele, ela não sabe bem o que está acontecendo com ela em relação à ele. E, obviamente, ela e Tony Stark tem um relacionamento, então isso faz com que haja um pequeno bloqueio entre os dois.

Marvel.com:Fale sobre como trabalhar com Gwyneth. É claro que você tem uma grande química.


Guy Pearce: Ela é uma atriz maravilhosa. Eu a assistia nos filmes há anos e sempre achei que ela era única. Ela é incomum, ela é linda, mas não é comum, tanto quanto a sua forma de execução e como ela olha. Ela é muito especial. Por isso, foi muito emocionante começar a trabalhar com ela. Ela é uma garota inteligente, por isso, se em alguns momentos algo não fazia sentido, ela estava sempre chegando com grandes ideias. Ela é muito aberta e ela fez esse personagem antes. O interessante, que vem em um filme como este, é que você está trabalhando com os caras que fizeram esses personagens antes, então eles são muito familiarizados com o que está acontecendo. Eles são muito abertos em fazer você se sentir confortável em entrar em seu mundo.


Marvel.com: Como foi trabalhar com Shane Black? O que ele traz para a franquia?


Guy Pearce: Shane é um cara do povo e ele é inteligente. Eu e ele algumas vezes tivemos discussões, como eu tenho certeza que já houve com outros atores também. Eu costumo identificar linhas de diálogo das quais vão para o que eles estão totalmente se encaminhando, mas às vezes elas não saem muito bem de sua boca. Outro ator pode não ter o mesmo problema, mas eu tenho. Então, eu estou sempre à procura de ajustar um pouco o diálogo apenas para realmente fazer o trabalho para mim, e Shane foi muito útil nesse respeito, tanto quanto chegando com ideias diferentes. Ele é um cara inteligente, ele sabe onde colocar a câmera, ele tem uma grande energia e ele é fácil de se conviver.


Marvel.com: Você tem feito um monte de sequências de ação. Que tipo de treinamento de dublês você teve que fazer?


Guy Pearce: Eu realmente não faço muito treinamento. Eu geralmente me encaixo bem na maioria do tempo e eu gosto de estar no controle das acrobacias que eu estou fazendo. Na sequência de luta entre Robert e eu, a gente salta de uma plataforma de petróleo no mar. Havia vários saltos de plataformas mais altas para plataformas mais baixas, o que é uma coisa perigosa, mas tinham especialistas em todo o lugar nos dando certeza de que não iriamos nos machucar. Há também muito trabalho com cabos onde estamos vestindo arreios. Eu tinha feito um pouco desse trabalho antes em outros filmes, mas você sempre precisa ter uma espécie de curso de reciclagem quando você começa um outro filme.


Marvel.com: O que você está mais animado para ver no filme terminado?

Guy Pearce: Eu acho que a maneira que o Extremis funciona no corpo das pessoas. Muitas vezes os caras dos efeitos visuais diriam: “Neste momento, nós vamos ver as veias pulsando até o pescoço e vamos ver que seus olhos vão ficar em um tom alaranjado.” Então, eles tinham umas ideias diferentes sobre como isso seria e eles estavam obviamente muito animados sobre fazer uma coisa que eles jamais tinham feito antes.

Marvel.com: Que tipo de experiência você acha que o público vai conseguir tirar deste filme?


Guy Pearce: Espero que, uma experiência ainda maior do que eles têm tido nos primeiros filmes Homem de Ferro, mesmo que ambos tenham sido muito emocionantes. Homem de Ferro 3 se baseia em uma história nova que as pessoas podem se relacionar, e não importa que tipo de filme você faz, você precisa de uma história que as pessoas possam se conectar com ela em um nível emocional, você precisa de personagens que possam se conectar, e você precisa sentir que há uma sensação de realidade em algum momento e você também tem que se divertir. Então, todos esses elementos precisam estar lá e eu acho que eles são.