Em entrevista a Empire Magazine, os diretores Anthony e Joe Russo, e os roteiristas de Vingadores: Ultimato, Christopher Markus e Stephen McFeely, falaram sobre as principais revelações, reviravoltas, mortes e muito mais. Confira abaixo 7 revelações sobre Tony Stark:

Robert Downey Jr improvisou aquela cena com o Capitão América

Quando Tony Stark é salvo pela Capitã Marvel, sua rivalidade na Terra o deixa cara a cara com Steve Rogers pela primeira vez desde sua confusão em Capitão América: Guerra Civil – e é justo dizer que Stark ainda guarda rancor, vemos isso quando ele chama Rogers de “mentiroso”. É uma fala que veio do próprio Robert Downey Jr.

“Acho que esse foi um dos momentos mais inspirados de Downey no filme”, diz Anthony Russo. “Ele tem seus motivos pra isso, ele é o cara que se sentiu abandonado por seu pai – você pode ver seus problemas de intimidade e confiança no momento em que ele se dirige ao Capitão. Downey realizou a cena com muita energia. Nós não fizemos isso muitas vezes, porque ele estava gostando tanto, tanto, que resolvemos manter”

Tony Stark poderia ter visitado Asgard

Uma vez decidida a viagem no tempo, os escritores tinham a tarefa de descobrir a quais eras do MCU (Universo Cinematográfico Marvel) os heróis retornariam – a ideia inicial era enviar o Homem de Ferro a um dos outros Nove Reinos.

“Tecnicamente em Thor: O Mundo Sombrio, o Tesseract está no cofre, pois o Aether também está lá”, diz McFeely. “Então, isso mandou Tony para Asgard, e ele tinha um terno furtivo invisível, e ele lutou com Heimdall, que poderia, claro, vê-lo. Eu acho que Joe [Russo] entrou e disse: ‘Por que não vamos para o primeiro Vingadores? É o maior filme, é o mais divertido, vamos nessa’”.

A Marvel não insistiu na morte do Tony, foi uma escolha do Robert

No final de Ultimato, o personagem que deu início ao Universo Cinematográfico Marvel não existe mais – Tony Stark se sacrifica para acabar com Thanos de uma vez por todas. É uma maneira muito pesada de encerrar um arco de 22 filmes. Mas enquanto faz todo o sentido como um fim lógico para o Homem de Ferro original, a morte de Stark não foi insistida pelo estúdio.

“A Marvel como um todo disse: ‘Achamos que esse pode ser o momento [para Tony morrer], mas se você tiver uma boa razão para não fazê-la, sinta-se à vontade – faremos o que for necessário’”, diz Markus. “Mas realmente pareceu, particularmente com o que Tony experimenta após a pausa de cinco anos – que ele se casou, teve uma filha e está vivendo uma vida muito saudável e pacífica pela primeira vez, e ele teve cinco anos completos de surpresas. – que não havia mais onde ele precisava ir. Este era um cara que tinha feito sua jornada completa, até o fim, tinha experimentado uma completa reabilitação de seu personagem no primeiro Homem de Ferro.”

Era lógico que a morte do Tony seria relacionada ao estalo de dedos

Embora a morte trágica de Stark não tenha sido decretada pela Marvel, a conclusão lógica de Ultimato levou naturalmente à eventualidade de que o Homem de Ferro seria o único capaz de matar Thanos e pagar o preço final por isso.

“Sabíamos que um novo estalar de dedos teria que desfazer o que Thanos fez – parecia apenas uma maneira equilibrada de abordar a narrativa”, explica Joe Russo. “Todas essas questões se tornam lógicas. Quem tem o conhecimento técnico para criar algo que possa segurar as jóias? Seria preciso um gênio como Tony Stark para descobrir isso. Ele usa a nanotecnologia porque o Hulk tem que colocar a manopla, o Thanos tem que colocar a manopla, o Tony tem que colocar – um tamanho único. Isso tudo faz parte do plano triste do Doutor Estranho, manter Tony vivo no final de Guerra Infinita, para que ele pudesse morrer depois salvando a todos. Nós sentimos que havia uma quantidade incrível de tragédia nisso.”

Foi escolha do Robert que Tony Stark morresse em silêncio

Um dos super poderes de Tony Stark era a sua boca – disparando gracejos e frases curtas impactantes. Mas quando chega a hora de ele morrer, ele não pronuncia uma única palavra, uma escolha que veio do próprio Robert Downey Jr.

“Robert ficou tipo: ‘Eu não vou dizer nada. Não quero falar porque não me parece honesto. E eu não achei que naquele momento ele teria a capacidade de falar “, revela Joe Russo. “Ele estava tipo, ‘eu vou ficar aqui, e você pode deixar rolar com os outros personagens, mas eu mal vou interagir porque isso parece uma escolha verdadeira para mim’.” E os diretores concordaram com a idéia. “Para ter um personagem com tanta dor, à beira da morte, foi importante para nós criar a sensação de que, quando você olhava pro Tony naquele momento, sabia que ele estava morrendo, e você teve que processar aquilo naquele momento”, acrescenta Anthony.

O sacrifício de Tony muda a ênfase do final de Guerra Infinita

Em Guerra Infinita, aprendemos que as chances de os Vingadores derrotarem Thanos são quase impossíveis – Doutor Estranho, vendo onde os heróis mais poderosos da Terra triunfam. E agora que sabemos que é o sacrifício final de Tony Stark para derrotar Thanos. “Cumberbatch faz uma longa pausa, e você sabe que ele está olhando para o Tony, e ele faz: “Um”, e na hora você entende o que ele quer dizer, “Você tem que morrer – não há outro jeito”, diz McFeely.

Os personagens que morreram, permanecerão mortos. Não há previsão de reboot

Parte do ciclo de vida dos filmes de quadrinhos, é a eventual reinicialização (reboot) – os personagens icônicos só permanecem mortos por tanto tempo por que uma nova “encarnação” vai acontecer. Mas de acordo com os escritores, esse não é o caso aqui. Não espere ver um novo Tony Stark ou Steve Rogers em breve.

“É a natureza do MCU”, argumenta Markus. “Não é um lugar onde você pode reiniciar um personagem e de repente o Homem de Ferro está com 15 anos de idade e todo mundo ainda tem a mesma idade. Os personagens têm que sair de cena, e o universo ainda tem que ficar de pé. Então, se você vai tirar as pessoas do tabuleiro, isso precisa acontecer de verdade.”

ATENÇÃO, A MATÉRIA A SEGUIR CONTÉM SPOILERS DE VINGADORES: ULTIMATO!!!!!!!!!

Vingadores: Ultimato conseguiu organizar e concluir o arco de vários personagens, principalmente de Tony Stark. Os últimos minutos do filme foram focados em derrotar o Thanos de uma vez por todas, e segundo o Doutor Estranho, só havia uma chance de derrotá-lo, e essa seria a que o Stark usa a manopla e acaba morrendo.

Os diretores do filme, Anthony Russo e Joe Russo, chegaram a discutir o destino do Homem de Ferro com Robert Downey Jr. antes de trazer essa cena à vida.

“Conversamos sobre isso com o Robert, porque foi foi ele que deu início ao MCU. O arco de Tony Stark é o maior e talvez o mais completo desse mundo cinematográfico. Quando decidimos que queríamos esse fim para o personagem, nos certificamos de que o Robert estaria confortável com isso, devido a sua enorme devoção ao MCU.

Muitos atores não opinam muito sobre o que fazemos pois confiam em nós, mas acho que Downey talvez tenha tido uma mistura de emoções sobre o final de Tony Stark, mas acredito que no fim das contas ele aceitou totalmente. Downey é muito colaborativo. Ele é um cineasta realmente brilhante e traz muita energia para o processo. A maneira como o dirigimos é através de discussões sobre a nossa visão do filme, sobre o que queremos fazer com o personagem. Ele é muito útil em termos de ajudar a preencher essas ideias.”

Os diretores ainda disseram que vêm trabalhando nesse arco desde Guerra Civil, quando trouxeram a história dos pais do Tony Stark. E em Ultimato, ele conseguiu criar uma família e ainda teve um momento com seu pai, Howard Stark.

“Temos trabalhado nesse arco desde Guerra Civil e também vinhemos preparando o Robert para esta performance específica durante dois filmes.”

Via: Comic Book.com

Desde de que o trailer de Vingadores: Ultimato saiu, os fãs da Marvel começaram a especular qual herói iria resgatar Tony Stark da morte quase certa no espaço.

E em um recente anúncio, a Audi pode ter estragado esse ponto específico da conspiração no filme, revelando acidentalmente algumas informações

ATENÇÃO: Podem conter possíveis spoilers de Vingadores: Ultimato a seguir. Prossiga com cuidado se você estiver planejando assistir ao filme sabendo o mínimo possível. Lembrando que são apenas suposições e nada foi confirmado.

Em sua apresentação na CES (Consumer Electronics Show) deste ano, a Audi anunciou sua parceria com a Marvel para criar uma nova experiência de realidade virtual. O que a Audi planejou fazer é transformar o banco traseiro do recém anunciado modelo “e-tron GT” em uma experiência de jogo em VR.

Na verdade, a Audi anunciou que o jogo/experiência será chamado de “Marvel’s Avengers: Rocket’s Rescue Run” (Corrida de Resgate do Rocket), que trará a experiencia ao passageiro usando o óculos, a simulação de uma viagem no espaço a bordo da nave de resgate de Rocket Raccon, através de um campo de asteroides enquanto tenta resgatar alguém. E quem poderia estar no espaço para o Rocket resgatar?

Graças ao trailer, sabemos que Stark e Nebula saem de Titan na Benatar, a nave que os Guardiões da Galáxia adquiriram antes de Vingadores: Guerra Infinita e sabemos que eles são os únicos em Titã que sobreviveram à dizimação de Thanos.

Rocket, por outro lado, foi o único Guardião a sobreviver ao estalar de dedos de Thanos, ficando na Terra, junto com os Vingadores originais. Depois de perder Groot pela segunda vez, provavelmente Rocket vai fazer qualquer coisa para tentar rastrear os outros Guardiões na esperança de que eles estejam vivos, podendo assim encontrar Tony à deriva no espaço

Vamos aguardar e conferir se é isso mesmo que vai acontecer, lembrando que Vingadores: Ultimato estreia dia 25 de abril nos cinemas.

fonte