Arquivo de 'Sem categoria'



postagem categorizada como: Sem categoria
Joe e Anthony Russo tinham outra idéia para o 3º filme do Capitão América se Robert Downey Jr não tivesse assinado o contrato.
25.08.2016

Em entrevista para a EW, Anthony e Joe Russo afirmaram que consideraram uma história bem diferente para o terceiro filme do Capitão América. Antes de Guerra Civil surgir, havia um impasse por conta do contrato de Robert Downey Jr. e os irmãos começaram a pensar em histórias alternativas, que não precisassem da presença do vingador:

“Ainda não estava certo que faríamos o Guerra Civil quando começamos a conversar sobre o próximo filme depois de Soldado Invernal. Então houve um período onde exploramos possíveis histórias do Capitão, que não incluíssem isso. Passamos algumas semanas nisso, apesar de Guerra Civil ter surgido bem cedo no processo e, quando isso aconteceu, colocamos toda a nossa força para fazer isso”, disse Joe.

Já Anthony revelou certo interesse no arco do Madbomb, onde um dispositivo usa ondas sonoras para destruir a mente de pessoas próximas, que se transformam em uma espécie de zumbis, que ainda estão vivos, mas se tornam extremamente violentos:

“Houve um período onde discutimos um terceiro ato que envolvia o arco do Madbomb, da mitologia do Capitão. Não tinha nada a ver com Guerra Civil e, se não conseguíssemos o contrato com Downey – bem no começo das negociações com ele – alguém teve essa ideia de um terceiro ato envolvendo o Madbomb, que deixa as pessoas malucas. É quase como transformar todo mundo em zumbi, mas não literalmente. O charme do Madbomb é que ele transforma hordas de pessoas em lutadores sangrentos. Esse seria o desafio físico que o Capitão e o grupo teriam que enfrentar”.

“A ideia do Madbomb é que o Capitão precisaria enfrentar civis e como ele lidaria com isso. Sempre tentamos coloca-lo nesses dilemas morais, por conta da natureza dele. Isso criaria um terceiro ato convincente, porque os civis seriam os antagonistas, e como ele iria para-los sem mata-los?”, completou Joe.

Anthony ainda completou que alguns heróis também poderiam ser afetados:“Pessoas que você conhece se tornam zumbis e agora você precisa lutar contra elas. E ai teria um grande componente emocional também”.

Depois disso, Robert Downey Jr. fechou o acordo e a ideia foi descartada.

Via: Omelete

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
É divulgado os Erros de Gravação de Capitão América: Guerra Civil
25.08.2016

Conforme postamos no site ontem, a Marvel está liberando os extras que foram adicionados ao DVD e Blu-Ray de Capitão América: Guerra Civil. Nas lojas e livrarias de todo Brasil em Setembro. Confira abaixo o vídeo e os screencaptures na nossa galeria:

 

Filmes > 2015 > Capitão América: Guerra Civil > Screencaptures dos Erros de Gravação

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
A lista de extras do DVD e Blu-Ray de Capitão América: Guerra Civil é divulgada
23.08.2016

Depois do incrível sucesso de bilheteria e críticas, o tão aguardado DVD e Blu-Ray de Capitão América: Guerra Civil, finalmente chega as lojas/livrarias de todo o Brasil no dia 14 de Setembro. Confira abaixo a lista dos extras:

  • Unidos, venceremos. Divididos, cairemos: Fazendo Capitão América: Guerra Civil. Quando a tensão aumenta, os lados são escolhidos e linhas são traçadas. Saiba mais sobre o lado de cada personagem – desde o Homem de Ferro e o Capitão América, até os novos recrutas. Nesse especial completo sobre esse marco no Universo da Marvel, vamos examinar as histórias através de imagens exclusivas e entrevistas, o que aconteceu para a seleção dos times dos super-heróis, filmando cenas épicas de ação, e introduzindo o Pantera Negra e o Homem-Aranha no Universo Cinematográfico da Marvel.
  • Capitão América: a Estrada para a Guerra Civil: Explore a fascinante evolução do Primeiro Vingador desde um soldado leal, até um herói temperamental, que questiona a autoridade.
  • Homem de Ferro: a Estrada para a Guerra Civil: De Gulmira até Sokovia, se aprofunde no desenvolvimento de um dos personagens mais icônicos do Universo Cinematográfico da Marvel.
  • Erros de Gravação: Quebre a tensão desse grande conflito com algumas cenas hilárias, mostrando o lado divertido de seus super-heróis favoritos.
  • Cenas estendidas e deletadas: Veja momentos inéditos  que não entraram no corte final de Capitão América: Guerra Civil – Funeral estendido de Peggy; Zemo conhece o Doutor Broussard; “Você não está acostumado com a verdade”; “Você tem que me arrumar um desse”.
  • Comentário em áudio: Os diretores Anthony e Joe Russo, e os roteiristas Christopher Markuse Stephen McFeely entregam as ideias de cada cena, explicam os desafios de contar uma história que eles enfrentaram durante a criação de Capitão América: Guerra Civil.
  • Abra sua mente: Sneak Peek exclusivo: Vá através e além das cenas de como o Doutor Estranho faz sua jornada para a tela grande.

Além desses extras, teremos também uma cena deletada do Barão Zemo e dois featurettes. Confira os vídeos abaixo:

Fonte

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
[Perry Mason] Nic Pizzolatto, criador de True Detective, pode estar interessado em projeto da Team Downey!
16.08.2016

Quem se lembra daquele projeto antigo da Team Downey, Perry Mason? Pois então, ele pode estar tomando vida! De acordo com a Variety, um dos “cabeças” da HBO pode estar interessado em trazer Perry Mason para a televisão. O nome do interessado é Nic Pizzolatto, criador e diretor da série True Detective (série que é mundialmente premiada com mais de 4 Emmy’s).

Nic e Robert estão em negociações sobre o drama. Nic estaria responsável pelo roteiro e Robert pela atuação. Os representantes da HBO se recusaram a comentar sobre o assunto sem ter uma afirmação concreta. Os detalhes da trama são escassos, mas fontes dizem que o projeto é baseado no Reboot da série de televisão Perry Mason (que durou entre 1957 a 1966), e que inicialmente seria um filme da Warner Bros. Pizzolatto, Downey Jr. e Susan Downey, serão produtores executivos.

Fontes dizem que esse projeto está em negociações com a HBO desde Maio desse ano. Este projeto marcaria o retorno de Robert a televisão , além de sua passagem em “Ally McBeal ” no início de 2000, antes de se tornar um dos maiores atores da atualidade.

Fonte

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Robert Downey Jr será jurado sobre um acidente do carro em Los Angeles
14.07.2016

O site TMZ publicou uma matéria hoje contando que Robert é jurado no caso de um acidente de carro ocorrido em Los Angeles, confira a nota:

Robert Downey Jr tem uma semana cheia de trabalho, mas ele não irá ganhar o seu salário habitual de 20 ou 40 milhões de dólares, e sim 15 dólares por dia como jurado. Descobrimos que Downey é um jurado suplente em um caso de acidente de carro que está sendo julgado em LA. Downey está lá desde segunda-feira, e o júri não vai começar a deliberar até sexta-feira.

Quanto à forma como ele foi selecionado, uma fonte ligada ao caso nos diz: “Todo mundo achava que ele era um cara justo.” Ele se identificou apenas como Robert Downey e disse que estava na indústria cinematográfica. Nos contaram que Downey foi super simpático e atencioso durante o julgamento. Não é exatamente um caso fascinante. Dois engenheiros biomecânicos estão testemunhando, juntamente com os dois pilotos, e 4 testemunhas oculares. Os ferimentos não eram horríveis … digamos que o cenário desse caso é de US$ 50k .

Os advogados fizeram apenas algumas perguntas antes de escolher o ator. Ele assegurou-lhes que nem ele nem ninguém em sua família estava em um acidente de carro que resultou em ferimentos. Uma fonte ligada ao caso disse: “Na verdade, ele parece feliz por estar aqui.”

Fonte

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Robert Downey Jr em entrevista para a GQ Style – Parte IV Final:
23.06.2016

Confira a última parte da entrevista do Robert para a GQ Style:

GQ: Quantos animais de estimação você tem?

Robert: Oito – se você não contar o peixe. Dois gatos, duas cabras e quatro alpacas. (Ele esqueceu dos cavalos)

GQ: E como é ter quatro alpacas?

Robert: Normal, assim como aconteceu. Eu tive uma conexão momentânea com Fuzzy [Nome de uma de suas alpacas] essa manhã. Eu tenho que dizer, ela estava umas 50 jardas de mim. Você sabe essa história da Costa Leste, conversas rápidas como, “Eai?” , foi o que tivemos essa manhã.

GQ: Em qual trabalho você acha que estava melhor, no geral?

Robert: Em Beijos e Tiros (Kiss Kiss Bang Bang). Quando eu estava assistindo aquele filme, eu disse, “Você é lindo. E agora… você tem que aceitar o fato de que vai envelhecer o mais graciosamente possível.” E eu acho que também, era por que eu e minha esposa estávamos ‘marchando’ [mais ou menos como se só tivessem seguindo em frente, sem obstáculos]. Sem filhos. Ainda não estávamos casados. Não víamos nada além de nós mesmos. E nós tínhamos um projeto. E o diretor era Shane Black. O qual você sabe, é difícil de não adorar. E 35 cenas gravadas a noite, então imagina, estávamos exaustos. Mas eu acho que existe alguma coisa sobre dormir até as duas da tarde todos os dias, o que me lembra dos clubes quando eu era adolescente. Era uma fase muito boa.

GQ: Qual a sua fase mais lamentável?

Robert: [pausa] Eu não lembro muito bem, é como se tivesse um borrão na minha mente, mas eu me recordo um pouco: Eu estava em Tenerife por uma semana [é uma ilha do arquipélago das Canárias pertencente a Espanha]. Uma ilha larga e cheia de vulcões. Eu me meti em tantos problemas, que era como se a ilha dissesse pra eu ir em bora. Exceto pelos meus novos amigos. Tinha um bar lá na ilha que eu sentia que seria a minha Casablanca [Casablanca é um filme norte-americano de 1942 dirigido por Michael Curtiz. O filme conta um drama romântico na cidade marroquina de Casablanca sob o controle do da França de Vichy.], eu ia colocar minha caixa do correio ali. Eu bebi tudo daquela ilha.

GQ: Espere, eu perguntei qual foi a sua fase mais lamentável. O que você achou que eu ia perguntar?

Robert: Quando você disse ‘lamentável’, eu pensei que você queria dizer ‘vergonhoso’. Como, um lugar onde você teve um fim de semana perdido particularmente debochado?

GQ: Você deu uma resposta mais interessante do que a que eu tinha perguntado. Eu estava pensando, se tem uma fase da sua vida em que se arrepende das roupas que usou.

Robert: Eu diria que o meio dos anos 80, onde eu queria usar, cartola, bengala e suspensórios [risos]. Tem um lugar na Sunset BLVD, do outro lado da rua perto do Chateau, chamado Oscar’s. Que é um incrível pub inglês, músicas com banjo …você entende? Não tem gelo nos drinks…então eu acho que isso tenha me inspirado…[ele se refere ao estilo da era Vitoriana]

GQ: Você se parece mais com o seu pai agora que está mais velho?

Robert: [pausa] Bom, ele é um cara bem excêntrico [pausa] eu sei que a qualidade das nossas conversas, são as conversas propriamente ditas, que eu não tinha quando eu estava com meus 30 anos. Mas eu acho que a maior questão é que você se torna mais ansioso e concentrado ao passar dos anos ou menos ansioso e menos concentrado. E eu diria que isso depende da semana, isso agrega muito.

GQ: Quando foi a última vez que você falhou em alguma coisa?

Robert: Semana passada, Exton não queria dormir. Eu disse a Susan “Eu dou um jeito nisso”. Nós estávamos acordados a noite toda, já era umas 03:09 da manhã. Não achei que foi vergonhoso ou que eu falhei, senti como se fosse uma humilhação [risos]. Como se você se sentisse doente e cansado mas você continua mesmo assim.

GQ: Como você se imagina aos 70 anos?

Robert: Teimoso.

GQ: Mais teimoso do que você é agora?

Robert: Quer dizer, é um objetivo que vale a pena trabalhar.

GQ: Existe uma idade para se aposentar em Hollywood?

Robert: 65 anos.

GQ: Por que 65?

Robert: Olha, eu só preciso de um plano para 14 anos. É só isso. Eu tenho 7 projetos antes de começar a tomar chá.

GQ: Enterrado ou cremado?

Robert: Criogenado.

GQ: Sério?!

Robert: Tem que ser. É inconveniente. É caro. Mas vai ser o problema de outra pessoa. Quer dizer, qual é. Mas fazer na morte o que fazemos na vida.

GQ: Isso é realmente o que você quer?

Robert: É tudo fantasia. Meu único desejo para a morte é partir com a mente aberta. Você sabe. Você tem uma lata de Reddi-wip (chantilly) vazia na sua mão. Você tem a sua diversão. Está vazia. Agora você nem pode mais usa-la para o que ela é feita. Você não pode mais colocar em uma torta Pecan.

Fonte

 

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Robert Downey Jr e Leonardo DiCaprio trabalhando juntos?
09.06.2016

Produtor cogita convidar Leonardo DiCaprio para interpretar o poeta persa Rumi em cinebiografia e recebe avalanche de críticas

Mais um caso de embranquecimento (whitewashing) está gerando polêmica em Hollywood. Em entrevista ao The Guardian, David Franzoni (roteirista de Gladiador, Amistad e Rei Arthur) revelou que está trabalhando em uma cinebiografia do poeta Rumi e que a ideia dele e do produtor Stephen Joel Brown é ter Leonardo DiCaprio no papel principal e Robert Downey Jr. como Shams de Tabriz, seu mestre e conselheiro.

Shams nasceu no Azerbaijão e Mawlānā Jalāl-ad-Dīn Muhammad Rūmī na província persa de Balkh, atual Afeganistão, mas Franzoni disse que pretende fugir do estereótipo do muçulmano no cinema ocidental, por isso a decisão de fazer um filme sobre o estudioso do século XIII com grandes estrelas de Hollywood. A justificativa não convenceu e a hashtag #RumiWasntWhite (#RumiNãoEraBranco) se espalhou imediatamente. Um abaixo-assinado também está circulando pelas redes sociais.

Com filmagens previstas para o início do ano que vem, a cinebiografia de Rumi vai apresentar suas palavras, além de investigar o encontro com Shams que mudou completamente sua vida. “É um projeto empolgante e desafiador. Rumi é muito popular nos Estados Unidos e o filme o dará um rosto e uma história”, completou Franzoni: “Esse é o nível de elenco que estamos querendo”.

Fonte

Nota do RDJBrazil: Acreditamos que seja difícil, pois a agenda do Robert está um pouco cheia. Com o início das gravações de Homem Aranha: Bem Vindo ao Lar e possívelmente Sherlock Holmes 3 em Outubro. 

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Robert Downey Jr em entrevista para a GQ Style – Parte III
06.06.2016

Confira a terceira parte da entrevista do Robert para a GQ Style:

GQ: Tem alguma obra de arte que seja especial pra você?

Robert: Tem um desenho da minha avó, que era modelo da Vogue, e ficou parada na coleção de revistas do seu falecido marido, e então eu consegui a edição em um leilão.

GQ: Você quis ir ao leilão sabendo que a revista estava com o ex-marido dela?

Robert: Não, eu mandei alguém que gosta de ir em leilões.

GQ: No que você mais gasta dinheiro sem se preocupar? Uma coisa…boba?

Robert: Sulfato de magnésio e Bicarbonato de Sódio. Eu recomendo isso pra todos. Se você está viajando e está cansado, fadigado, se está treinando num nível alto, se está estressado, tome um banho. Coloque quatro medidas de Epsom Salts (Sulfato de magnésio), que equivale a uma caixa de leite, e quatro medidas de Baking Soda (Bicarbonato de sódio). Coloque isso na banheira e fique nela por uns 15 minutos.

GQ: E o que acontece?

Robert: Ele filtra [banho detox] …Bem, você sabe para que serve o bicarbonato de sódio. Bicarbonato de sódio é realmente bom com toda a radiação de baixo nível e frequências. É muito bom fazer isso depois que você chega em casa de uma viagem de avião. Mas ás vezes, quando eles [faz um gesto com as mãos abrangendo todos da Team Downey] chegam no fim do mês, eles dizem, “Você gostaria de saber o que acontece depois que você toma um banho com essas coisas?” Eu respondo que não. Mas podemos comprar a granel? Eu sempre ofereço uma solução.

GQ: Qual é o seu hotel favorito?

Robert: Acho que o Hassler, em Roma. Principalmente na parte em que se tem a vista dos degraus espanhóis [Confira a imagem]. É incrível. Você conhece o The Carlyle, em Nova York? É difícil vencer esse cara. Tem também o Claridge’s, em Londres. Quero dizer, alguns desses lugares, não vive só de serviço de quarto e equipe bem treinada. Tem alguma coisa a ver com a localização, e a arquitetura que não deve ser nem intencionada. É só a sensação que você tem quando vai num lugar desses.

GQ: Existe alguma coisa legal sobre a sobriedade?

Robert: Não tem nada de ‘chato’ na sobriedade, essa é a questão. Eu acho que a maior pergunta é: É a vida em termos da vida, tudo bem pra você? [Traça o contorno de uma mesa oval entre nós]. Essa é uma mesa legal por que não tem beira. No planeta em que vivemos existe a implicação de que é um circulo,  mas na verdade, é cercado de diversos ângulos que podemos percorrer. E a vida não é como uma mesa redonda. A vida tem beiras. Qualquer coisa que alguém poderia fazer para se distrair da realidade…sobriedade é uma palavra estúpida para isso. É realidade. Ou melhor, ter uma avaliação realista das suas limitações. Mas será que existe uma desvantagem em saber quais são as suas limitações? Sim. Por que em certos momentos, você consegue identificar o que e por que não consegue seguir adiante. Mas na verdade, o que acontece é apenas um relato honesto de suas probabilidades estatísticas. Isso não significa que você não deve praticar ski em uma montanha. Na verdade, significa que você deve. Mas você provavelmente não irá.

GQ: Vício mais persistente?

Robert:Nicorette [gomas de mascar que ajudam a parar de fumar]. O problema é que, as vezes, as pessoas vão te dar a impressão de que, se eu estou mais estressado , eu preciso de mais um. Então, minha esposa diz “Por Deus, ele está me dando nos nervos. Aqui, você precisa de um desses? E eu digo [fazendo barulho e ruídos] Eu tive o grande prazer de sentar ao lado de Dick Van Dyke em um evento há cinco anos e ele tirou do terno um pacote de Nicorette. Eu já estava mascando um desses fazia três meses ou mais. E eu disse: “Há quanto tempo você…?” Ele diz “Vinte anos” E eu fiquei UAU, ele está ótimo, e com um ótimo humor!

GQ: Quem é seu melhor amigo (a)?

Robert: Minha esposa. Ela tem que ser. Não tenho dúvidas, um ser humano muito leal.

GQ: Vocês fazem terapia?

Robert: Existem duas crianças para terapia [se referindo ao Exton e a Avri]. Terapia de crise e terapia de manutenção. Existem dois tipos de relacionamentos. O relacionamento que começa – mantem – terapia de casais e relações que não têm nada a ver com isso e acabam na terapia de casais. É como o serviço de limpeza. Você entende o que eu quero dizer? E é muito melhor ter o serviço de limpeza fixo, apenas mudando os lençóis duas vezes por semana. Então eu acho que tudo, o essencial para manter isso tudo em ordem, é a conversa. E depois há momento em que Susan diz: “Eu estou bem. Você precisa falar com ele sobre isso, isso e isso.” E eu vou dizer “Ok, sim, isso é bom e isso também”

GQ: O que você está lendo agora?

Robert:Getting Things Done por David Allen. Leia. Eu também estive sob a tutela de um cara chamado Wayne Pepper que é um dos peritos praticantes em ‘ajeitar as coisas’.

GQ: O melhor show em que você já foi?

Robert: Steely Dan no The Beacon, NY. Eles tocaram o álbum Aja inteiro. Eu estava visivelmente chorando para minha esposa surpreso e divertido. Ela falava: “O que é isso? a letra do Deacon Blues é tão importante pra você?” Eu estava: “[soluçando] Você não entende”

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Omaze e Random Act Funding: Uma entrevista com a vencedora da promoção!
30.05.2016

Pizza é sempre uma boa pedida, e com a companhia de Robert Downey Jr é ainda melhor. A Omaze conta todos os detalhes do dia que a vencedora Amelia da promoção teve com Robert. Confira:

Omaze: Como foi?

Amelia: Foi tão legal e tão divertido. Nós estávamos muito nervosas em conhece-lo, mas na verdade essa foi a parte mais descontraída de toda a viagem/passeio, ele foi muito gentil. Nós fomos ao The Tonight Show com Jimmy Fallon e antes disso, ficamos um pouco na área VIP. Nossos lugares na platéia do programa eram ótimos. Depois que o programa acabou, fomos ao Tribeca Screening Room (uma sala de cinema localizada em Nova York). Só tinha nós três na sala e estávamos comendo uma deliciosa pizza. Nós levamos nossas escovas de dentes também. Comemos a pizza, conversamos um pouco e então, todos nós fomos ao banheiro escovar os dentes.

Omaze: Espera, vocês escovaram os dentes com Robert Downey Jr? 

Amelia: Sim! Nós fizemos uma piada antes de começarmos a comer pizza. Logo depois ele disse: “Ok, nós devemos escovar nossos dentes agora ou depois de tirarmos as fotos?”. Nós ficamos UAL, ele realmente lembrou da piada e trouxe uma escova pra ele também. Bom, a pizza era de queijo, alho e cebola então acho que foi levarmos as escovas de dentes.

Omaze: Sobre o que vocês conversaram? 

Amelia: Sobre filhotes. E como nós levamos eles no backstage do The Tonight Show. Ele [Robert] também tem vários e minha irmã resgatou alguns patinhos [ducklings] logo depois que saímos do estúdio. Ele nos contou sobre a banda do filho dele também. Nós somos de Madison, WI, e eles vão fazer um show lá em breve, ele estava tentando lembrar o endereço para que ele pudesse nos colocar no show de graça.

Omaze: Como foi a sessão de fotos?

Amelia: Nós vimos todos os acessórios e então ele começou a separa-los para que pudesse-mos escolher quais usar e qual foto usar. Nós sabíamos exatamente quais ele queria usar. Por que a maioria seria pra ele usar como expressão facial, por exemplo: “Ok, este combina com o meu blazer” ou “Ok, esse é bem sensual”.

 Omaze: Qual foi o ponto alto de toda a experiência?

Amelia: Com certeza a pizza e o ensaio de fotos. Foi muito legal conhecer alguém famoso que você realmente gosta, e perceber que ele é realmente uma boa pessoa e muito legal de se conversar. Ele foi demais!

 

Você confere as fotos do ensaio das meninas com o Robert na nossa galeria: Miscelânea > Robert para Omaze 2016

 

Fonte

postado por Larissa
postagem categorizada como: Sem categoria
Robert Downey Jr em entrevista para a GQ Style – Parte II
26.05.2016

Confira agora a segunda parte da entrevista do Robert para a GQ Style!

GQ Style: Você tem uma performance favorita de alguma atriz?

Robert: Quando a Noomi Rapace fez ‘Os Homens que não Amavam as Mulheres’ (The Girl with the Dragon Tattoo) – eu gosto de performances como essa, sem re-inventar coisas, elas [mulheres] criam um outro tipo de aspecto para os filmes. Eu poderia me referir ao trabalho da minha mãe nesses tipos de trabalhos experimentais que ela fazia com meu pai. Praticamente nada do que Shirley MacLaine teria feito. Ela é a pessoa cujo o dom, tem diminuído ao longo das gerações.

GQ Style: E sobre os atores?

Robert: Hm…Rami Malek. Ele é o cara agora. Todos deveriam estudar mais sobre esse cara.

GQ Style: A coisa mais divertida que você vivenciou em um ‘Set de Gravações’

Robert: Trovão Tropical. O primeiro Homem de Ferro foi ótimo. O terceiro Homem de Ferro foi ótimo. Por uma infinidade de coisas…Capitão América: Guerra Civil, foi uma ‘explosão’. Parte do que faz um excelente filme, é como opressivos são os elementos quando você está fazendo. Por exemplo, aposto que se você perguntar para o Leonardo Dicaprio daqui 50 anos, qual foi a sua melhor experiência em um filme, ele vai dizer que foi em ‘O Regresso’ (Revenant), por que ele deu tudo de si, foi atacado por um urso e sobreviveu. E em Guerra Civil nós acontecemos, fizemos as nossas vontades, falando sobre uma das maiores guerras da história Norte Americana, todos uniformizados e dizendo: “Isso foi uma loucura”, e tem um pouco de graça nisso. Era como: “Tudo bem Robert, agora, o Máquina de Combate está em perigo” e eu dizia “Ele está em perigo?”

GQ Style: E qual foi a menos divertida?

Robert: Bom, quer dizer, eu não sabia disso na época, mas em ‘Um Romance Maluco’ (Baby It’s You), meu primeiro filme de estúdio, eu achava que estava arrebentando, e toda a minha cena foi cortada. Os meus amigos me chamaram de lado e apontaram para o telão e disseram “Hey, talvez aquele seja você”. E eu apareci sentado numa mesa de costas.

GQ Style: Você mencionou várias vezes sobre Guerra Civil. A sua relação com o personagem, Tony Stark / Homem de Ferro, mudou ao longo dos filmes? A era do “Eu não trabalho bem com os outros” já passou né?

Robert: Eu acho que sim. Se você perguntar qual é a minha relação com o personagem agora, eu diria que é nostálgica! [Risos]

GQ Style: O que você avalia antes de fazer algo novo depois de tantos anos na Marvel?

Robert: Honestamente, como alguém que ama os filmes: [tradução literal] “Eu posso ser incomodado para assistir esse filme se esse cara é quem faz?” [Quis dizer que as pessoas só assistem os filmes se tem alguém que interessa]. Eu não estou dizendo que eu só quero fazer filmes tradicionais e populares. Mas a vida é curta, e ultimamente estou a serviço da ‘indústria’. Por mais que eu exista para fazer qualquer outra coisa, eu existo para criar widgets de entretenimento para outras pessoas poderem consumir. E algumas pessoas , isso é uma grande afronta às suas sensibilidades , e eu, dizemos “tudo bem”. Fim do dia , você está em uma indústria de serviços , como Kirkland. [Kirkland é uma cidade localizada no estado norte-americano de Washington, no Condado de King] É simples assim.

GQ Style: “O ator mas bem pago do mundo” e “um dos maiores atores de sua geração”. Você já foi chamado assim várias vezes. Se você escolhesse um, qual deles seria?

Robert: Nenhum. Por que os dois são tão…Quer dizer, sério? Primeiramente, você poderia imaginar nas eras douradas, época do meu pai, Pacino e De Niro, você acha que os dois iriam se permitir uma discussão tão insignificante, reduzindo-os a uma figura monetária? Eu tive, e ainda tenho, uma das piores sortes do que qualquer um no mundo público.

GQ Style: Então por que a resposta não foi simplesmente “um dos maiores atores de sua geração”?

Robert: Bem, se eu sou um dos, então, quem são os outros?

GQ Style: Então eu posso dizer …”O Melhor”?

Robert: A implicação de que estamos em competição uns com os outros, ou quais são os números na segunda-feira, quero dizer, tudo isso é em grande parte uma bobagem.

GQ Style: Vou mudar um pouco o rumo da conversa. Você tem lidado financeiramente com a ‘indústria’, melhor do que muitas pessoas lidaram. Parece que você andou pensando mais sobre isso. 

Robert: Certo, aqui está o que vou dizer. Quando você está na mídia, por anos, por décadas, só um tolo te ajudaria com uma “mão vencedora” [referência ao Pôquer]. E tirando todas deficiências genéticas devastadoras, eu não sou tolo.

GQ Style: Para que serve o dinheiro? 

Robert: É bom para as emergências de outras pessoas.

GQ Style: Você pensa sobre o equilíbrio entra e vida e o trabalho?

Robert: Neste momento, está sendo embaraçosamente administrada. Eu também sou uma pessoa que responde por um roteiro/acordo/script. Por exemplo, se você me der três páginas com mapas, cenas e números, abençoe seu coração, por que eu vou dizer: “Ah ótimo! Agora sei o que fazer. Eu vou acordar as 04:47 da manhã e vou correr, ou treinar. Quer saber? Eu deveria começar me aquecendo…” Automaticamente, todas as minhas energias ficam como: Eu sei como fazer isso. Eu faço isso a 30 anos.

GQ Style: Você acabou de completar 51 anos. Isso significa alguma coisa pra você?

Robert: Sim. Se eu quiser me livrar do OCD (Transtorno obsessivo-compulsivo: Excesso de pensamentos (obsessões) que leva a comportamentos repetitivos (compulsões). Eu estou quase no meu 52º ano. Já passei por tudo, isso pode uma carta coringa pra mim. Eu posso brincar esse ano [Risos]. Eu também descartei completamente a ideia de me dar uma festa, que não é uma função de me transformar num ser mais humilde, psicologicamente mais forte e moral. É simplesmente uma função da idade.

GQ Style: Você coleciona alguma coisa?

Robert: Eu gosto de cristais e pedras. Eu gosto de carros Vintage. Mas eu não chamaria isso de coleção. Sabe o que eu coleciono? Eu coleciono tentativas de coleções, depois perco o interesse.

GQ Style: O que pedras e cristais significam pra você?

Robert: Eles são pilhas pequenas tangíveis de energia e todas essas coisas. Não estou dizendo que sou um cara New Age, não mesmo. Mas existem coisas do tipo, você sabe, se não estiver contaminado- eu gosto de coisas que eu possa pegar, colocar no bolso e levar pra casa. Eu costumava colecionar tudo que era do Homem de Ferro [brinquedos que a Marvel lançava], mas ai o que aconteceu, eu comecei a andar com um monte de crianças, ou conhecer crianças e ir a festa de aniversários de amigos meus, e eu acabei dando todas elas.

Continua….

postado por Larissa