Robert Downey Jr fala sobre o porque de Tony querer “quebrar o queixo do Capitão América” em “Os Vingadores: Guerra Infinita” e solta algumas pistas interessantes sobre seu possível — ou não — futuro como Homem de Ferro.

O personagem de Downey Jr, Tony Stark, tem sido a capa do Universo Cinematográfico da Marvel desde 2008 e rumo a “Os Vingadores: Guerra Infinita”, isso não parece mudar (A sua posição no primeiro poster do filme confirma muito bem isso). No entanto, parece que o mandato do ator como Homem de Ferro está chegando ao fim e, em uma nova entrevista, o ator falou sobre o seu futuro como o personagem.

Questionado diretamente sobre o que ele irá fazer quando tudo isso tiver fim, Downey respondeu: Sabe, eu aprendi muito com a patroa. Você sabe como o que ou como você vai acabar até que seja a hora. Isso tira muito da vantagem. Ela aprendeu a ser tipo, ‘Você não vai saber até você chegar lá, então pare de gastar seu tempo nessa equação. Isso não está no teste.'” Então, ele claramente ainda não decidiu nada.

Isso, entretanto, faz parecer que ele está preparado para o fim e animado pelo o que está por vir. “Eu poderia planejar todo o tipo de coisa. Eu posso entrar em depressão. O que você quiser. Ou eu poderia ficar, bebendo na pior até que eu precise de ajuda. Estou ansioso para qualquer decisão que esteja nas cartas.”

Quanto a onde encontramos o Homem de Ferro no início de Guerra Infinita, Downey aponta para Tony lutando para superar sua briga com Steve Rogers na qual vimos em “Guerra Civil” quando Tony descobre que o Soldado Invernal matou seus pais. “Para mim a grande questão é, Pode ele algum dia limpar sua consciência,

e pegar aquele telefone que o Capitão lhe enviou no final de ‘Guerra Civil’? É isso mesmo. Pra mim, penso em Obadiah e naquele engano, e é uma daquelas coisas. É por isso que o Steve Perry nunca voltou pro Journey.”

“Eu não sei,” o ator completa quando questionado se o Homem de Ferro e o Capitão América passam a maior parte do filme separados (coisa que os fãs adorariam saber). “Eu sinto que meu instinto seria quebrar seu queixo. Tudo o que eu sei é que há algo sobre estar nas câmeras com Evans. Eu odeio admitir, mas eu não o que vou fazer quando ele não for mais o Capitão América. Eu olho para ele e penso essa é a psicologia mais moral, mais verdade, mais baixa que eu já vi e então eles vão, ‘corta!’ e Chris está tipo, ‘Ei cara, eu tenho que sair daqui.’ E eu estou tipo, ‘Quer ir jantar?’ ‘Não.’ ‘Okay! Te amo, Capitão. Quer dizer, Chris.'”

 

Fonte

O ator por trás de Tony Stark teve um impacto inesquecível no universo cinematográfico da Marvel, como Robert Downey Jr. carregou a franquia nas costas desde o início. E nos bastidores, o ator se tornou um mentor de seus parceiros de elenco no set.

 

Chris Pratt falou com a Empire sobre o Robert indo além das expectativas, enquanto filmava Vingadores Guerra Infinita, revelando um lado dele que os espectadores não estão acostumados a ver.

 

“Cara, ele definiu um tom realmente incrível [“Ele é um pouco como o próprio Tony Stark”] disse Pratt. “Eu acho que muito do que o Tony Stark faz são as mesmas qualidades que tornam Downey incrível. Eu acho que Downey é tão rico quanto Tony Stark agora. Ele realmente cuida dos atores ao seu redor de uma maneira que eu nunca vi antes. “

 

Downey se tornou um dos maiores nomes de Hollywood em parte devido ao seu papel nos filmes Homem de Ferro e Vingadores. E enquanto ele não mede esforços fazendo caridade, é bom ouvir sobre como é sua relação com seus colegas de trabalho.

 

“Eu estava meio mal e me esforçando muito nos dias em que estava trabalhando. Ele veio até mim e disse: ‘Você está bem?’ Eu disse: “Sim, só estou com um pouco de dor de garganta”. Dentro de dez minutos havia uma pessoa aqui me dando todas essas ervas e cuidando de mim “, disse Pratt. “Ele me ofereceu o uso de seu trailer, onde eu poderia sentar e usar alguns de seus aparelhos de cura de alta tecnologia. Foi incrível. Estou vivendo o melhor momento da minha vida.”

 

A generosidade de Downey não começou com a produção de Guerra Infinita. Na verdade, ele chamou Pratt assim que ele foi escalado como Peter Quill em Guardiões da Galáxia para dar boas vindas.

 

“Quando cheguei pela primeira vez ao Universo Cinematográfico Marvel, Downey foi o primeiro a me ligar e dizer: “Ei, cara, seja bem-vindo. Se houver algo que você precise, eu o ajudarei. Há tão poucas pessoas no planeta que estão passando pelo que você está passando agora. Eu já passei, então eu estou aqui. Eu sempre atendo o telefone.”

 

À medida que o MCU continua a crescer, Pratt agora sente que poderia servir em um papel semelhante aos novos atores que entram.

 

“Eu me sinto completamente encorajado a passar a diante com Tom Holland ou Chadwick Boseman. Eu não estou dizendo que sou um sênior para eles, além de ter tido a experiência de abrir um filme com a Marvel e estar no MCU”, disse Pratt. “Agora eu realmente me sinto impulsionado a oferecê-los, mesmo que seja uma fração do que Downey foi capaz de me oferecer, e apenas dizer: ‘Tudo o que você precisar, me avise'”.

 

Fonte

Em uma entrevista sobre o novo filme da Marvel “Os Vingadores: Guerra Infinita”, Benedict deu detalhes sobre o script do filme e falou um pouco sobre seu colega de trabalho, Robert Downey Jr.

Entrevistador: Nós vimos o Doutor Estranho com o Tony Stark no trailer. Como foi trabalhar com Robert Downey Jr.?

Benedict: Eu me dei muito bem com Robert Downey Jr. Ele é o líder mais inclusivo, generoso á falhas e é um prazer estar por perto. é um lugar feliz quando Downey está lá, e isso é pra todos, não só para os atores. Ele é engraçado, é ativo, ele é tão ativo, um ator muito inteligente. É bem interessante assistir pessoas como Robert, que tem feito tão brilhantemente por tanto tempo em seu auge. É muito, muito bom estar no set, como eu disse, mas é muito mais agradável assistir a ele trabalhar e ser parte desse trabalho também.

Fonte